Imagem: Saikorn/Shutterstock

A Rússia parece ter uma “carta na manga” para lidar com todas as sanções decretadas por marcas e estúdios gamers. Ao que parece, o país euroasiático fez mudanças em suas legislações para “liberar” a pirataria enquanto as restrições estiverem em vigor.

O movimento teria começado no início desta semana. Inclusive, o portal gringo TorrentFreak divulgou uma proposta do Ministério do Desenvolvimento Econômico da Rússia para adoção de medidas que limitariam o impacto das sanções na economia do país.

Um dos itens do documento (6.7.3) reivindicava a não punição de uso de softwares não licenciados no território. A prática de pirataria é (ou era) ilegal na Rússia, mas a mudança livra o indivíduo de qualquer processo civil ou criminal contra pirataria de softwares para o qual não haja alternativa russa.

Em complemento, o item 6.7.1 propõe que quaisquer responsabilidades por crimes de propriedades intelectuais (IPs) envolvendo “direitos a uma invenção, modelo de utilidade, desenho industrial em relação a programas de computador, bancos de dados e topologias de circuitos integrados” sejam eliminadas.

Segundo informações do City AM baseadas no jornal estatal da Rússia Rossiyskaya Gazeta, as propostas foram levadas adiante e a pirataria teria sido “liberada” no país. Embora os relatos foquem no artigo 6.7.1, é bem possível que o 6.7.3 também tenha sido adotado.

Novo conflito da Rússia?

Se a medida, de fato, ter avançado, a Rússia pode ter comprado uma nova “briga de cachorro grande”. Mesmo que a medida aparentemente seja focada em softwares, ela deve respingar na emulação e pirataria de jogos, trazendo mais um problema para as empresas da indústria gamer.

Por falar nelas, nomes como Microsoft, Sony, Nintendo, Activision Blizzard, Electronic Arts, Ubisoft, Take-Two Interactive, Epic Games, CD Projekt, Bungie, Rovio, Supercell, Niantic, Humble e Plarium já anunciaram sanções ao território russo e devem ser afetadas.

Resta saber qual seria o movimento reativo dessas gigantes. Empresas como a Nintendo são conhecidas pela rigidez na proteção de suas propriedades intelectuais e não devem ficar caladas. Enquanto isso, gamers russos devem ficar ainda mais receosos com possíveis novas (e mais duras) restrições.

Via: GamesIndustry

Comentários

1

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  • Rod
    11 de março de 2022 - 21:09

    Na verdade já era legalizado há anos!
    A maioria de softwares, apps e jogos estrangeiros são crackeados lá na Rússia.