Inauguração da empresa, entrada na bolsa de valores ou superávit inédito são alguns eventos que podem eternizar momentos — e períodos — de qualquer companhia. Curiosamente, nenhum desses acontecimentos figurou no calendário da Riot Games deste ano, mas isso não foi impeditivo para que 2021 entrasse para os anais da instituição.

E teve de tudo: chegada avassaladora de jogo para celular, lançamento de diversos títulos e anúncios de outros games para um futuro próximo, novos recordes, avanços do MMORPG inspirado em League of Legends, parcerias e crossovers, além é claro, da estreia da série “Arcane” na Netflix.

Todas estas novidades serviram para mostrar o real peso do LoLzinho a níveis globais, mas muito mais que isso, reforçaram como expandir o universo do MOBA para outros formatos e otimizar a exploração do título lançado em 2009 puderam dar um novo gás para a Riot, ampliando o portfólio até então limitado da empresa.

Annie

Imagem: Riot Games

E esta talvez tenha sido a grande sacada da companhia, o que possibilitou um 2021 extremamente positivo — talvez muito mais do que a Riot esperava no começo do ano — e que aumenta as expectativas e responsabilidades da empresa para 2022.

E para celebrar este “ano mágico” da dona de League of Legends, a equipe do TecMasters resolveu listar os principais feitos da Riot ao longo de 2021. Confira abaixo.

Lançamento do Wild Rift para as Américas

Wild Rift, da Riot Games

Dando início ao cronograma de feitos — isso existe? — da Riot Games em 2021, é preciso mencionar a chegada de League of Legends: Wild Rift para as Américas. O open beta do game já havia sido disponibilizado no fim de 2020 em algumas regiões da Europa, mas chegou ao Brasil somente em março deste ano.

Basicamente, o título é uma adaptação do LoLzinho em uma versão mobile. Embora ainda não conte com todos os personagens vistos na versão para PC, o jogo tem sido muito elogiado pela comunidade e, em alguns casos, seu client é encarado como superior ao do MOBA de desktop.

Segundo a Statista, Wild Rift teve mais de 26 milhões de downloads de janeiro até novembro de 2021, o que pode dar uma dimensão do sucesso alcançado pela Riot. Se os números não forem o bastante, o título de melhor jogo para iOS conquistado no App Store Awards talvez explicite melhor a recepção da comunidade.

“Arcane”: dos computadores para a Netflix

Já em novembro, a Riot revelou o que talvez tenha sido sua maior cartada do ano: a série “Arcane“. A obra inspirada no universo de League of Legends era algo requisitado há tempos pela comunidade, mas a verdade é que a responsabilidade de entregar algo à altura do MOBA fez com que o curta desse as caras somente este ano.

Sobre o sucesso? Talvez os únicos que não se depararam com nada de “Arcane” na internet foram os que não puderam acessar a rede nos últimos meses. Brincadeiras à parte, os nove episódios rapidamente encantaram o mundo, até mesmo os que não eram familiarizados com o LoLzinho.

Não à toa, ela superou os números alcançados por “Round 6” e quebrou os recordes de audiência da Netflix em 38 países. E por falar em Netflix, em novembro, “Arcane” tornou-se a série original da plataforma de streaming mais bem avaliada no site IMDB, com nota de 9,4 na época.

Durante a exibição da obra, a Riot também preparou um mega evento, intitulado de RiotX Arcane, que abrangeu todos os principais jogos da empresa: League of Legends, Wild Rift, Legends of Runeterra, Teamfight Tactics e Valorant. Além de explorar mais a lore de personagens, a celebração ofereceu diversas recompensas aos players.

Vale frisar que ao colocar campeões icônicos como Jinx, Vi, Caitlyn, Jayce, Heimerdinger e outros na série, a Riot conseguiu chamar a atenção de seus fiéis jogadores. Não só para acompanhar a história dos personagens e validar as animações criadas, mas também na expectativa de encontrar outros campeões durante a jornada.

Isso também ocorreu do outro lado: pessoas que nunca sequer jogaram League of Legends resolveram experimentar o joguinho após ficarem deslumbrados com “Arcane”. Ou seja, a série não só trouxe mais evidência para o LoLzinho, como também permitiu que a empresa pudesse explorar outros campos do entretenimento.

Parcerias e crossovers

Parceria de Arcane, da Riot Games, com Among Us

Ainda na bota de “Arcane”, a Riot aproveitou todo o sucesso da série para introduzir a obra em outros jogos. Durante o evento RiotX Arcane, por exemplo, a companhia fez uma parceria com o PUBG Mobile para levar alguns personagens icônicos do curta ao battle royale.

E felizmente as novidades não pararam por aí: teve a parceria entre “Arcane” e o jogo Among Us, o lançamento da campeã Jinx como personagem de Fortnite e até mesmo um crossover entre a série de League of Legends e o popular jogo de cartas Magic: The Gathering.

Não menos importante, o sucesso da série também fará com que personagens do curta cheguem para os jogos da Riot. A empresa já revelou que o TFT vai ganhar figuras marcadas da obra em fevereiro e um desenvolvedor afirmou que estuda incorporar personagens da série ao LoLzinho no futuro.

Riot Games lança novos jogos…

Também neste ano, a Riot quis mostrar que não vive somente de League of Legends, Valorant e Teamfight Tatitcs. Tanto que resolveu lançar dois novos jogos para sua comunidade: Hextech Mayhem e Ruined King.

  • Hextech Mayhem

Lançado no dia 16 de novembro, Hextech Mayhem: A League of Legends Story mistura o estilo runner (visto em games como Subway Runner e Temple Run) com o gênero rítmico de títulos como Guitar Hero e Osu!. No papel do campeão Ziggs, de League of Legends, o player terá de executar os comandos no momento certo — e na batida da música — para avançar na jornada.

Por ora, o título está disponível apenas para PCs (via Steam, GOG.com e Epic Games Store) e Nintendo Switch, mas uma versão para dispositivos móveis está programada para chegar em breve, dentro do serviço de games da Netflix.

  • Ruined King

Também lançado no dia 16 do mês passado, Ruined King traz um RPG de turnos inspirado no universo de League of Legends. O título, revelado originalmente em 2019, chegou para PC, Nintendo Switch, PlayStation 4 e Xbox One. Há ainda planos para versões na atual geração de consoles.

… e dá uma prévia de outros que virão

Além dos spinoffs anunciados, a Riot Games decidiu revelar mais detalhes sobre outros projetos que devem ser lançados muito em breve.

  • Song of Nunu

Nesta aventura single player, o jogador terá de explorar o mundo de Freljord como Nunu, um jovem em busca de sua mãe. Será preciso descobrir os segredos, mitos e lendas escondidos nas profundezas da tundra congelante com seu melhor amigo, um yeti sábio e brincalhão chamado Willump.

O game está sendo desenvolvido pela Tequila Works e será lançado em algum momento de 2022.

  • Conv/rgence

Pouco se sabe sobre o jogo, mas um vídeo revelado no mês passado mostra que a história focará no campeão Ekko e em como ele enxerga a cidade de Zaun. O futuro título de aventura da Riot Forge, uma divisão da Riot Games focada em distribuir jogos de League of Legends desenvolvidos por outros estúdios, chega no ano que vem.

  • MMORPG de League of Legends

Sobre o MMORPG do LoLzinho, apenas foi confirmado que as equipes de desenvolvimento seguem trabalhando firme para entregar uma experiência incrível aos fãs do jogo. Infelizmente, é pouco provável que o game seja anunciado antes de 2023 — mas a esperança é a última que morre, certo?

Outros feitos

Se todos os pontos anteriores não foram o bastante para enquadrar 2021 como um ano mágico para a Riot, ainda há feitos extras que podem ajudar a comprovar isso. No dia 1º de novembro, a companhia revelou que League of Legends, Legends of Runeterra, Wild Rift e Teamfight Tatics totalizaram 180 milhões de players em outubro.

 

Já a final do Valorant Champions Tour, o campeonato mundial de Valorant, quebrou o recorde de viewers simultâneos nas plataformas de streaming: durante a decisão, foi visto um pico de 1.089.068 internautas, ultrapassando a marca de 1.060.257 espectadores nas semifinais do torneio.

E é claro que marcas inéditas não seriam ignoradas pelo LoLzinho. O Worlds 2021, o campeonato mundial de League of Legends, teve um pico de 4.003.193 espectadores simultâneos — sem contar as plataformas chinesas — durante a final, o que representa outro recorde de audiência alcançado pelo campeonato.

Além disso, o MOBA ganhou o título de melhor jogo de e-Sports no The Game Awards 2021, que coroou os principais destaques do mundo dos videogames esse ano. Para se ter uma noção, o prêmio foi o sétimo consecutivo conquistado pelo lolzinho, que vem dominando a categoria do evento desde 2015.

Talvez estes números mostrem como os jogos da Riot Games continuam a fazer sucesso mesmo depois de tanto tempo. E talvez tenha sido um dos motivos para a própria companhia iniciar negociações com o Comitê Olímpico Internacional — as conversas ainda estão em estágios iniciais — para levar o LoL para as Olimpíadas .

Por outro lado, a empresa entendeu como diversificar o portfólio de jogos e produtos, mesmo que baseado em um só título, pode trazer novos horizontes para seu futuro. E, bem, tendo em vista o que aconteceu em 2021, muitas novidades são esperadas para os próximos anos.

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *