Enquanto boa parte das empresas de tecnologia sofre com a “seca” no mercado de chips, a Apple ostenta componentes de sobra graças à boa relação com fornecedores. Isso parece não impedir que a companhia se depare com outro problema: as pessoas não estão comprando tantos iPhones quanto o esperado.

Segundo um levantamento da Bloomberg, a recém-lançada linha iPhone 13 vai na contramão de outros smartphones e eletrônicos e está sofrendo não com baixa capacidade de oferta, mas sim de demanda.

Apple sem atrativos para o iPhone?

Oficialmente, a Apple já havia reduzido sua previsão de produção desses novos aparelhos, passando de 90 milhões de unidades para 80 milhões. Agora, tudo indica que esse número pode sofrer um novo corte e ficar mais próximo dos 75 milhões de iPhones anuais que se tornaram um padrão para os lançamentos mobile da marca.

De acordo com dados obtidos pela equipe da Bloomberg, a empresa já avisou aos seus parceiros que não deve fazer tantos pedidos de componentes quanto havia projetado anteriormente – o que pode afetar toda a linha de produção dessas fabricantes para 2022.

iPhone 13

Imagem: Sahej Brar on Unsplash

Isso significa que o iPhone 13 é um fracasso? Não exatamente. No entanto, a crise global pode ter feito com que muitos consumidores tenham escolhido esperar mais um ano para mudar de celular.

Não só a nova linha de iPhones traz mudanças apenas incrementais em relação aos modelos do ano passado, com o hardware dos celulares Apple de 2 ou até mesmo 3 anos atrás continuam dando conta de praticamente todas as atividades comuns do usuário. Agora, é esperar que o iPhone 14 reconquiste o público e os números da empresa.

Fonte: The Verge

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *