Imagem: Tecmasters

A partir desta terça-feira (8), usuários do Tor já podem acessar o Twitter pela versão recém-lançada e  projetada especificamente para a rede, com mais camadas de proteção. O anúncio foi feito pelo engenheiro de software Alec Muffett, descrevendo o post como “possivelmente o tweet mais importante e há muito esperado que eu já compus”.

O serviço onion do Twitter pode ser acessado pelo https://twitter3e4tixl4xyajtrzo62zg5vztmjuricljdp2c5kshju4avyoid.onion enquanto o usuário navegar pelo Tor Browser ou ferramenta similar. “É um compromisso da plataforma para lidar com as pessoas que usam o Tor de forma equitativa”, disse Muffett ao The Verge em resposta a uma DM no Twitter. “A criação de um endereço onion é um passo prático que demonstra que a plataforma está fornecendo explicitamente para as necessidades das pessoas que usam o Tor”.

A rede também foi adicionada à página de navegadores suportados pelo Twitter.

Twitter lança versão do site projetada especificamente para rede Tor

Imagem: Twitter

Tor, a darkweb e a internet da superfície

Frequentemente os serviços onion são vinculados a sites explicitamente criminosos na darkweb como mercado de drogas na maioria dos veículos de comunicação. Entretanto, vários endereços da internet da superfície oferecem versões específicas do Tor, como mecanismos de buscas DuckDuckGo, focado em privacidade do usuário, bem como veículos de notícias como Deutsche Welle, The New York Times, BBC e ProPublica, incluindo ferramentas como SecureDrop e outras, que passam pela rede onion.

Em 2014, o Facebook lançou o próprio serviço anônimo, projetado para corrigir sérios problemas de funcionalidade ligados a usuários Tor, sinalizados incorretamente como botnets na rede social. À época, Muffett, que trabalha para implementar sites onion, já discutia a possibilidade de uma versão do Twitter amigável ao Tor, conta o engenheiro e ex-Facebook em um tweet.

Anonimato, censura e segurança

Basicamente, o serviço Tor criptografa o tráfego web de ponta a ponta e o encaminha através de uma série de servidores descentralizados, tornando possível o anonimato dos usuários que o usa.

Além de ter assumido um papel de destaque desde a invasão russa à Ucrânia, a rede Tor também foi uma ferramenta fundamental durante a Primavera Árabe, em 2010, protegendo a identidade de dissidentes online e possibilitando acesso a recursos fundamentais, a mídias sociais e sites bloqueados.

Apesar de alguns provedores de internet começarem a censurar a rede onion no fim do ano passado, o Projeto Tor disse a Vice que o nível de bloqueio tem variado; os usuários russos ainda podem se conectar através do Tor.

O serviço onion do Twitter está disponível há anos e os benefícios em usá-lo vão além de simplesmente conseguir acessar uma plataforma bloqueada, como nos casos citados acima. Por forçar pessoas a usarem a rede Tor, já que não funciona em navegadores comuns, ela protege contra alguns riscos de segurança introduzidos em endereços web padrão. “Se você estiver rodando o navegador Tor e clicar [ou] digitar exatamente o endereço correto onion, você tem a garantia de estar conectado ao que você espera — ou não está”, explica Muffett.

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.