Imagem: TecMasters

Mais uma lista quentinha com leituras do mês que o pessoal da redação anda lendo. Se ainda não viu as listas anteriores, não se acanhe! Clica aqui. Antes de partir para a lista dos títulos do O que estamos lendo?, queria apenas salientar que, sim, ele está de volta: nosso editor Marcelo Rodrigues e suas duas dicas de livros para o mês! E é por elas mesmo que iremos começar. Vamos nessa?

O que estamos lendo?

Matéria Escura, de Blake Crouch
[O QUE ESTAMOS LENDO?] Nada para ver aqui, Confinada, Bourdain, Cypherpunks: veja a seleção de abril Por: Marcelo Rodrigues
E se, em vez de ficar remoendo suas escolhas ao longo dos anos, você pudesse literalmente ter a vida que sempre sonhou? Essa é a proposta do romance sci-fi de Blake Crouch, que une uma pitada de artigo da Wikipédia sobre física quântica e matéria escura com uma dose generosa do filme “Primer”.

Na história, o professor de física Jason Dessen se pergunta como sua vida seria se, em vez de uma família que ama, ele tivesse se dedicado ao seu trabalho como pesquisador. Após ser sequestrado por um homem misterioso, ele se vê obrigado a responder a essa questão na prática. A trama demora um pouco para engrenar, mas, quando toma fôlego, é difícil deixar a leitura de lado!

Editora: Intrinseca | 352 páginas

Nada para ver aqui, de Kevin Wilson
[O QUE ESTAMOS LENDO?] Nada para ver aqui, Confinada, Bourdain, Cypherpunks: veja a seleção de abril Por: Marcelo Rodrigues
Como uma história em que uma moça vai cuidar de gêmeos que – vejam só – pegam fogo quando ficam nervosos pode ser um dos melhores livros dos últimos anos, eu não sei. Mas Nada para ver aqui é exatamente isso. Com uma narração em primeira pessoa absurdamente imersiva, diálogos assustadoramente reais e uma situação completamente insana, o texto de Kevin Wilson vai não só te entreter do começo ao fim, mas ficar ecoando nos seus pensamentos por um bom, bom tempo. Sério: se você só puder ler um único livro este ano, que seja este – e me agradeça depois!
Editora: HarperCollins | 272 páginas

Confinada, de Leandro Assis e Triscila Oliveira
[O QUE ESTAMOS LENDO?] Nada para ver aqui, Confinada, Bourdain, Cypherpunks: veja a seleção de abril Por: Renata Aquino
Esse livro de quadrinhos brasileiros é muito diferente de uma história tradicional de herói e vilão e traz o peso da realidade com um humor ácido. Trata de duas personagens, Fran e Ju. Fran é rica, influenciadora digital e Ju, moradora da favela vizinha forçada a procurar trabalho doméstico durante a pandemia.

Confinada é uma seleção dos quadrinhos no Instagram de Leandro Assis e Triscila Oliveira que destrincham temas como desigualdade social, racismo, polarização política, homossexualidade, estupro e muito mais. Com o subtítulo “Uma tira de ódio”, os quadrinhos vivem passando por controvérsias no Instagram, que vez ou outra censura algum conteúdo. Outra série on-line dos autores – a Os Santos –, que retrata uma família de classe média, é precursora da história (e certeira também em tratar de questões profundas e sociais). Seja no livro (que tem físico e em e-book) ou no Instagram, as histórias valem a pena!

Editora: TodaVia | 192 páginas

Cypherpunks — liberdade e o futuro da internet, de Julian Assange et al.
Liliane Nakagawa Por: Liliane Nakagawa
Cypherpunks — liberdade e o futuro da internet é uma leitura que fiz há alguns anos, mas não pude deixar de recomendar aos leitores do TecMasters. Como todo livro obrigatório, este é um daqueles que considero necessário revisitar em breve.

O movimento cypherpunk — derivação (criptográfica) de cypher (escrita cifrada) e punk — nasceu no início dos anos 1990 e atingiu o auge durante as “criptoguerras” e após a censura da Internet na Primavera Árabe. Julian Assange, um dos mais conhecidos cypherpunks (raiz) da atualidade, discute sobre vários tópicos que envolvem vigilância digital, censura, militarização do ciberespaço, Internet e as suas relações com a política e a economia, com três proeminentes ativistas do mundo digital: Jacob Appelbaum, desenvolvedor do software TOR; Andy Müller-Maguhn, porta-voz da associação alemã hacker Chaos Computer Club; e Jérémie Zimmermann, ativista da ONG La Quadrature du Net.

A edição brasileira foi lançada em 2013, mas continua atual. O alerta, como o próprio autor descreve a obra, ainda serve ao nosso momento, no qual “os dados privados dos cidadãos são sistematicamente coletados e requisitados pela vigilância governamental, colocando um grave risco às liberdades civis e polícas”.

Cypherpunks é obrigatório, não apenas para aqueles que se interessam pelo hacktivismo, mas para todos que perseguem o esclarecimento. Se tivéssemos “Privacidade para os fracos, transparência para os poderosos”, como seria o nosso mundo?

Editora: Boimtempo | 158 páginas

Cozinha Confidencial, de Anthony Bourdain
Tissiane Vicentin Por: Tissiane Vicentin
Anthony Bourdain foi um dos chefs renomados (e mais debochados) da gastronomia – e eu tinha que trazê-lo para o nosso O Que Estamos Lendo deste mês, com Cozinha Confidencial, no qual o autor conta um pouco sobre os bastidores desse universo de cozinha quente, mas também sobre como ele cresceu como profissional e — porque não — como humano, em um relato em primeira pessoa com doses de humor ácido (bem ao estilo Bourdain).
Editora: Companhia de Mesa | 408 páginas


Chegou até aqui? Então investe mais uns cinco minutinhos e deixa nos comentários o que você tem lido? Também queremos saber (quem sabe até rola fazer um clube do livro?)

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.