Imagem: Divulgação

Em 22 de março de 1996, chegava às lojas um projeto diferente da Capcom, que mais tarde seria conhecido como uma das maiores franquias de todos os tempos. Há 26 anos, o mundo conhecia o primeiro “Resident Evil”, lançado para PlayStation e que trazia Jill Valentine e Chris Redfield como protagonistas em duas campanhas distintas.

Apesar de parecer um game simples de zumbis, a ideia de “Resident Evil” é mostrar um mundo em que acidentes biológicos acontecem com certa frequência e colocam as pessoas em risco.

Com o passar dos anos, a franquia foi se reinventando, mudando sua jogabilidade, e evoluindo sua narrativa, mas sempre tendo o bioterrorismo e a Umbrella Corporation por trás de tudo.

Coincidentemente, o dia 22 de março também marca a chegada do remake de “Resident Evil” como exclusivo do GameCube. Para comemorar o aniversário duplo desta série, separamos 10 curiosidades sobre o primeiro game que podem ser bastante chocantes em alguns pontos.

Mudança de nome

Resident Evil

Imagem: Divulgação

O primeiro game saiu com o nome “Biohazard” lá no Japão. Quando foi levado para outros países, a Capcom encontrou diversas dificuldades em manter esse título, já que existia uma banda de heavy metal e até um outro game usando essa nomenclatura. Portanto, “Resident Evil” foi o “vencedor” de uma votação interna entre os funcionários da empresa e então foi adotado para o lançamento em outros lugares.

Versão para Game Boy Color

Apesar de ter saído inicialmente apenas para o primeiro PlayStation, a Capcom tinha planos para um versão para o Game Boy Color. No entanto, o projeto nunca foi finalizado e, portanto, nunca lançado. O interessante é que versões inacabadas do projeto, produzido pelo estúdio HotGen, podem ser encontradas pela internet.

Game em primeira pessoa?

Resident Evil

Imagem: Divulgação

A perspectiva em primeira pessoa foi bastante criticada quando a Capcom a implementou em “Resident Evil VII”. No entanto, e se fosse assim desde o começo? Pois esse era o plano inicial de Shinji Mikami, criador do game.

Na ocasião, um protótipo em primeira pessoa chegou a ser desenvolvido, mas fez com que Mikami ficasse bastante insatisfeito com o resultado, descartando a ideia em seguida.

FPS de zumbis

Resident Evil

Imagem: Divulgação

Não que seja incomum hoje em dia, mas o primeiro “Resident Evil” estava planejado para ser um FPS cooperativo. Os jogadores deveriam lutar contra hordas de zumbis juntos.

No entanto, por conta das limitações de hardware do primeiro PlayStation, o jogo teve de ser mudado e adotar a estratégia de duas campanhas.

Adaptação da saga para o cinema

Filme Resident Evil

Imagem: Divulgação

Quando decidiu que era hora de levar “Resident Evil” para as telonas, o primeiro nome que veio à mente da Capcom foi George Romero, um dos mais importantes diretores da história do cinema quando se trata de zumbis.

Porém, a ideia de Romero era seguir fielmente os acontecimentos dos jogos em sua produção, algo que era contra o que a Capcom queria na ocasião. Por conta disso, a ideia de tê-lo como diretor foi descartada.

Inspiração em outro jogo de terror

Sweet Home

Imagem: Reprodução

Mas, ao contrário do que se pensa, “Resident Evil” não é necessariamente uma ideia original. Isso porque o título foi inspirado em “Sweet Home”, outro game da Capcom, lançado em 1989, para Famicom.

O game conta com muitos elementos que se tornaram famosos na franquia de zumbis, como a animação das portas, puzzles e uma mansão como cenário principal.

Jogo do Pateta?

Goof Troop

Imagem: Divulgação

Outra inspiração de “Resident Evil” foi o game “Goof Troop” que trouxe Pateta e Max, da Disney, como protagonistas. Antes do game de terror da Capcom, Shinji Mikami participou da produção deste título.

Ele então foi uma peça importante na produção de “Resident Evil”, já que há pedaços de seu código-fonte dentro do jogo de zumbis. Mas uma das maiores inspirações talvez sejam os puzzles, que apresentam algumas semelhanças.

Além disso, para a criação das duas campanhas – e para a implementação de diferentes dificuldades justamente pela força e velocidade dos personagens -, Mikami também se inspirou em “Goof Troop”, porque Pateta e Max também possuem essas diferenças de gameplay – Pateta é mais forte enquanto Max é mais rápido.

Personagens cortados

O primeiro game da franquia teria alguns personagens a mais do que os que chegaram com o título. Isso porque Dewey e Gelzer – um médico e um operador de rádio, respectivamente – foram cortados da versão final. Seus papéis na trama nunca foram divulgados.

Cenários reais

Stanley Hotel

Imagem: Divulgação

Para criação da famosa mansão do game, a Capcom se inspirou em lugares reais. Após visitar algumas locações, eles conseguiram captar a essência de um local que parece esconder diversos segredos em suas paredes. Inclusive, alguns dos corredores da mansão do título tiveram seu design tirado diretamente do The Stanley Hotel, famoso por servir de cenário para o filme “O Iluminado”.

Personagens que viraram protagonistas

Rebecca Chambers e Barry Burton foram alguns dos personagens presentes em “Resident Evil” e que, depois do primeiro game, ganharam destaque o suficiente para estrelarem jogos próprios – “Resident Evil Zero” e “Resident Evil Revelations 2”, respectivamente.

Comentários

1

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  • Dona Noca
    22 de março de 2022 - 17:09

    “Porém, a ideia de Romero era seguir fielmente os acontecimentos dos jogos em sua produção”

    Trazer um Chris nativo-americano, namorando a Jill e mudando a trama cientifica para algo sobrenatural não é exatamente seguir fielmente os jogos.