Imagem: Diego Thomazini/shutterstock.com

Empresas que utilizam o WhatsApp para a contratação de serviços agora terão também que oferecer a possibilidade de cancelamento pelo aplicativo. Com o objetivo de facilitar a vida dos consumidores, o Governo Federal fez algumas mudanças nas regras do Serviço de Atendimento ao Consumidor, o famoso SAC. Dentre as alterações realizadas, a mais significativa fica por conta da implementação de canais facilitados para o cancelamento de serviços.

Isso quer dizer que, a partir de outubro de 2022 – data em que as mudanças começam a valer -, as empresas devem passar a oferecer a possibilidade de cancelamento de serviços por meio do mesmo canal em que os negócios foram contratados – o que inclui o WhatsApp, por exemplo.

Com as mudanças, a ideia é oferecer mais canais para que os consumidores possam cancelar serviços exclusivamente online – isso porque, atualmente, a modalidade SAC muitas vezes está disponível apenas por telefone.

Ilustração de WhatsApp e Messenger

Imagem: AlexandraPopova/Shutterstock

Resposta pelo WhatsApp e até 5 dias

Vale lembrar que, mesmo com a implementação da possibilidade da resolução de problemas exclusivamente online, as empresas devem ser obrigadas a manter um meio de contato telefônico com o mesmo objetivo.

Por fim, as mudanças estabelecem que os consumidores devem ter uma resposta clara e objetiva em até 5 dias corridos pelo WhatsApp. Além disso, os meios de atendimento devem estar disponíveis em qualquer dia e horário.

WhatsApp

Imagem: Dima Solomin/Unsplash

Via: Uol

Comentários

3

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  • Gelber
    3 de maio de 2022 - 14:47

    Também é bom avisar a turma do STF pra não ficar derrubando o Zap por pirraça, ai sim que a coisa fica complicada quando precisamos desse tipo de contato.

  • Robson
    3 de maio de 2022 - 14:42

    Mais uma ótima alternativa desse governo competente.

  • Raphael
    3 de maio de 2022 - 14:34

    Isso já vem acontecendo em algumas empresas, porém, o atendimento deve ser diretamente com pessoas e não bots com respostas automáticas e limitados a entender a necessidade real do consumidor.