A Panasonic apresentou nesta segunda-feira (4) a nova versão do seu óculos de realidade virtual (VR) MeganeX. O gadget continua com o design arredondado apresentado pela empresa para o seu protótipo de 2020, com uma proposta inspirada no steampunk e que difere consideravelmente dos caricatos óculos com design com cara de máscara de ski apresentado por empresas de tecnologia.

O gadget, exibido durante a CES 2022, é equipado com processador Qualcomm Snapdragon XR1, e chegará ao mercado com lentes de Micro-OLED de 120 Hz e resolução de 2.560 x 2.560 pixels por olho — o que deve trazer mais nitidez e qualidade às imagens e que pode ser interessante especialmente para o público gamer (ou, quem sabe, para acessar uma reunião no metaverso).

 

A primeira versão dos óculos de realidade virtual da Panasonic

A primeira versão dos óculos de realidade virtual da Panasonic, apresentada na CES 2020 – Imagem: divulgação/Panasonic

 

O design e a preocupação com a qualidade das imagens é o que a empresa acredita ser o grande diferencial do gadget. “É necessário que os óculos de realidade virtual sejam leves e confortáveis ​​de usar, além de fornecerem imagens realistas para serem amplamente aceitos pelos consumidores”, disse Takuma Iwasa, CEO da Shiftall, em nota.

Apesar da alta tecnologia prometida, os óculos da Panasonic ainda necessitam de conexão com cabo para funcionar.

Agora a informação que todos querem saber: o preço. Você poderá adquirir um exemplar destes pela bagatela de US$ 900.

 

Além do VR, Panasonic quer ampliar acesso ao metaverso

Os óculos de realidade virtual serão produzido com a marca Shiftall, subsidiária da Panasonic que é responsável pelo desenvolvimento de “tecnologias do futuro”, como mostra a descrição no site da própria empresa.

Nesse sentido, além do MeganeX, a empresa também apresentou outras novidades que podem ser as “ferramentas para o metaverso”.

A primeira delas é o HaritoraX, um dispositivo de rastreamento corporal que possui compatibilidade com SteamVR e outros óculos de realidade virtual como o Oculus Quest 2, além do próprio MeganeX. A ideia é permitir ao usuário realmente entrar no mundo virtual por meio do sistema que captura movimentos da cintura e das pernas.

Segundo a Shiftall, o HaritoraX tem autonomia de 10 horas e sugestão de preço de US$ 270.

A Shiftall apresentou também o PebbleFeel, uma espécie de ar-condicionado corporal que pode ser acoplado a um colete e, por conta do seu sistema de aquecimento e resfriamento embutido ele, bem… aquece e resfria o corpo. A ideia é trazer sensações reais e proporcionar uma experiência mais imersiva no mundo virtual. As variações de temperatura vão de 9°C a 42°C.

A, por fim, temos o Mutalk: um microfone bluetooth com supressão de som, para evitar vazamentos. O aparelho pode ser colocado sobre o rosto do usuário, deixando-o com as mãos livres para conversar no metaverso — ou, ao menos, essa é a ideia.

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *