Imagem: RODNAE Productions/Pexels

A vida dos gamers na China continua complicada. Apesar de o país ter liberado a produção de novos jogos no território após 9 meses de paralisação, a Tencent, um dos maiores conglomerados gamers do mundo, acaba de anunciar uma medida rígida para barrar o acesso de chineses a jogos estrangeiros não aprovados.

Na última quarta-feira (13), a empresa chinesa confirmou que vai atualizar sua ferramenta de aceleração de jogos para desktops e dispositivos móveis no dia 31 de maio. Como resultado, o update vai suportar apenas títulos operados na China e não vai mais permitir acessos a games da gringa.

Tencent, empresa da China

Imagem: 大 神/Unsplash

Entenda a mudança

Para entender a relevância do caso, é preciso compreender a situação chinesa. Ao contrário de muitas regiões, o país asiático só permite a jogatina de títulos estrangeiros aprovados pelo governo. Os jogos não são explicitamente bloqueados, mas as conexões de internet são muito mais lentas para esses games.

Em 2018, a Tencent — assim como a NetErase — lançou uma ferramenta para aumentar a velocidade de internet dos chineses. Querendo ou não, isso era usado como uma brecha para que os moradores locais pudessem acessar jogos como GTA ou Animal Crossing com conexões minimamente decentes.

Mas com o novo anúncio, isso será praticamente impossível. Assim como antes, jogos e servidores estrangeiros não serão bloqueados na prática. Mas as baixas conexões a esses títulos e ping nas alturas certamente vão afastar os jogadores desses games.

Restrições da China à indústria de jogos

Bandeira da China

Imagem: Rawpixel

A Tencent se recusou a justificar a mudança. Mas isso não soa como grande novidade. Até porque a indústria gamer na China vem sofrendo golpes atrás de golpes.

Vale lembrar que, no ano passado, o governo chinês limitou os dias e horas em que menores de idade podem jogar. Para esses indivíduos, foi determinado um limite máximo de três horas semanais de jogatina – uma hora por dia na sexta, sábado, domingo e, ocasionalmente, feriados.

Além disso, o país proibiu “conteúdos violentos” e “tendências ocidentais” em jogos no país e baniu algumas competições (a exemplo de um torneio de PUBG: Battlegrounds). Até mesmo Fortnite, um dos games mais populares da atualidade, fechou as portas na China em 2021.

Fortnite, jogo bloqueado na China

Imagem: Vlad Gorshkov/Unsplash

Nesta semana, o território até voltou a liberar produções de novos jogos após longos meses de paralisação, mas ainda assim, apenas 45 títulos foram aprovados até agora – normalmente, cerca de 1.200 licenças de jogos são concedidas anualmente no país.

Tudo indica que a situação da indústria de jogos na China ficará cada vez mais complicada. Triste notícia para uma região repleta de jogadores de alto nível, boas produções e de um cenário competitivo fortíssimo.

Via: Reuters

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.