Enquanto as criptomoedas ganham força mundo afora – e até, muito provavelmente, uma cidade inteira em El Salvador – a Suécia, preocupada com o aquecimento global, defende a proibição da mineração de Bitcoin (e outras criptomoedas) na União Europeia. Já pensou se a moda pega?

O motivo do pedido das autoridades suecas é o “uso intensivo de energia” no processo de mineração criptográfica. Erik Thedéen, diretor da Autoridade Sueca de Supervisão Financeira, e Björn Risinger, diretor da Agência Sueca de Proteção Ambiental, disseram que o uso crescente de energia para minerar criptomoedas “está ameaçando a capacidade da Suécia de cumprir suas obrigações sob o Acordo Climático de Paris”.

aquecimento global causado pela mineração de criptomoedas

Reguladores financeiros e ambientais suecos querem proibir a mineração de Bitcoin na UE por causa de seu impacto ambiental – Imagem: Pawel Czerwinski / Unsplash

Segundo eles, entre abril e agosto deste ano, o consumo de energia da mineração de Bitcoin no país aumentou “várias centenas por cento” e atualmente consome a eletricidade equivalente a 200.000 residências.

Assim, com essas justificativas, os diretores dos principais reguladores financeiros e ambientais da Suécia pediram, em carta aberta, a proibição da mineração de criptomoedas em toda a Europa. Atualmente, o velho continente é visto como a capital mundial das criptos após a proibição imposta pela China.

Os defensores do fim da mineração na Europa fizeram algumas comparações curiosas para alertar a quantidade de energia desprendida com criptomoedas. Segundo eles, daria, por exemplo, para dirigir um carro elétrico por 1,8 milhão de quilômetros – o equivalente a 44 voltas ao redor da Terra – com a mesma energia necessária para extrair um único Bitcoin.

Fonte: Euronews

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *