E se todos os NFTs dos blockchains Ethereum e Solana fossem reunidos em um único portal e distribuídos de graça? Pode até parecer loucura, mas, em partes, é esse o projeto do The NFT Bay, um portal lançado na última quinta-feira (18) que hospeda um torrent de quase 20 TB de arquivos baseados em tokens não fungíveis.

Antes de tudo, é preciso entender a sigla. A palavra NFT é derivada do termo non-fungible token (token não fungível, traduzido para o português). Eles nada mais são do que tokens gerados a partir de uma blockchain, que atuam como selos para certificar que um determinado ativo (palpável ou não) é original.

Ilustração para representar o mercado NFT e NFTs

Selo classifica determinado ativo como único e original, mesmo que já esteja disponível na rede – Imagem: amhnasim/Pixabay

“Mas os NFTs não são únicos e, geralmente, vendido por milhares ou milhões de reais?”, podem estar se perguntando alguns. Sim, é verdade. Até por isso que o projeto disponibiliza os ativos apenas na teoria, uma vez que estes não são os tokens originais armazenados em blockchain.

Apesar de o The NFT Bay — criado por um tal de Geoffrey Huntley, que é engenheiro de software e desenvolvimento — ser descrito como um “projeto de arte educacional” que visa melhor educar os usuários sobre os NFTs com o intuito de evitar novos golpes, ele nada mais é do que uma crítica contra os ativos.

“Às vezes, as coisas erradas ganham tempo de transmissão e a única maneira de ir direto ao ponto é com arte”, publicou Huntley em seu Twitter.

O portal não abriga os verdadeiros tokens não fungíveis, mas sim, as mesmas imagens vendidas como NFTs. É como se alguém tivesse dado um clique direito com o mouse em todos os tokens de Ethereum e Solana, salvado as imagens em um simples arquivo JPG ou GIF e publicado os documentos “na faixa”.

Por que pagar milhões em um meme de redes sociais quando se pode encontrar a mesma imagem em domínio público e de graça? É basicamente essa a análise por trás do projeto, que questiona o real valor dos tokens não fungíveis para que players iniciantes desse mercado entendam melhor o território que estão pisando.

NFTs dividem opiniões

A opinião de Huntley não é exceção. Mesmo que a tecnologia tenha desembarcado no universo gamer, grandes companhias têm rejeitado a ideia. A Steam baniu qualquer jogo em sua plataforma que tenha relação com NFTs e criptomoedas. Já o chefe do Xbox, Phil Spencer, recentemente chamou os tokens de “exploradores”.

“[NFTs] são valiosos apenas como ferramentas para lavagem de dinheiro, evasão de impostos e maior fraude de investimento tolo. Não há valor para eles. Seu único propósito é criar uma carência artificial de uma obra de arte para supostamente aumentar seu valor”, escreveu o cientista da computação Antsstyle.

Do outro lado da moeda, há quem veja a tecnologia com bons olhos. Gigantes como Ubisoft, Sega, EA e Square Enix mostram-se empolgadas com os ativos. Além disso, o volume de negócios de tokens não fungíveis cresceu 704% no terceiro trimestre deste ano, movimentando US$ 10,7 bilhões no período.

Questionar o real valor desses ativos é mais que válido — e, bem, existem argumentos sólidos para isso. Mas não considerá-los seria um grande erro, já que a expectativa do segmento é de alta nos próximos anos, bem similar ao que foi visto com as criptomoedas.

Fonte: Kotaku

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *