Só louco queima dinheiro, certo? Errado! Quem é louco por NFTs queima dinheiro sim, e à vontade, e lucra muito também. Pelo menos foi o que aconteceu este ano. O mercado de NFTs chegou a US$ 26 bilhões e foi vendido absolutamente de tudo, desde um simples SMS a um Picasso (queimado na hora). Relembramos alguns desses momentos e fica o desafio para ver se em 2022 vamos superar tanta maluquice.

Lembramos que o NFT, abreviação de token não-fungível, é um item único digital autenticado em blockchain. Uma imagem, uma página, uma mensagem, qualquer pedaço de informação digital pode ser um NFT. Uma vez que o item for gravado – o chamado minting (mintar) – e tiver seu registro de autenticidade em blockchain realizado (em uma plataforma de NFTs), não pode mais ser substituído ou copiado. Boa parte das transações que relembramos foram longe para provar as implicações desse conceito.

Churrasco de NFTs com Picasso e Bansky queimados

Alertem os bombeiros, as obras de arte queimadas fazem sucesso renascidas como NFTs. Em 9 de março, foi Bansky que teve uma peça queimada logo depois de ter sido fotografada e registrada como NFT.

A autodestruição não é algo estranho para Bansky, que em 2018 vendeu uma obra com um triturador embutido e, assim que o leilão terminou, a obra virou um monte de fitinhas de papel. Picasso é outro artista complexo, que chegou a queimar alguns de seus quadros.

Nenhum deles, entretanto, esperava que suas obras fossem queimadas, mas continuassem a viver como obras de arte digitais autênticas, que é o que o NFT proporciona. O Picasso queimado pediu 15 WETH (US$ 56 mil) no lance mínimo. O leilão só chegou a US$ 9 mil e a obra não foi vendida.

Ironicamente, arte falsa também vende. Um colecionador comprou um Bansky falso por US$ 300 mil em NFT.

Memes de ouro em criptomoedas

Memes famosos são outro tipo de imagens que lucraram muito em NFTs. A imagem original da “Disaster Girl” foi leiloada por US$ 500 mil. A fotografia da menina com a casa em chamas ao fundo foi tirada por Dave Roth, em janeiro de 2005, durante um treinamento do corpo de bombeiros em Mebane, na Carolina do Norte (EUA). Enquanto observava o fogo, Dave registrou sua filha, Zoe, sorrindo diabolicamente com a casa em chamas ao fundo.

Em abril, com 21 anos, Zoe Roth (a menininha da foto), vendeu um NFT do seu próprio meme no site de leilões Foundation. A estudante agora pretende usar o dinheiro para pagar a universidade e fazer doações para instituições de caridade.

O artista de Nyan Cat vendeu um NFT em fevereiro baseado no clipe viral de 2011 por US$ 605 mil.

O vídeo “David After Dentist” também foi leiloado como NFT. O vídeo foi gravado em 2008, quando David DeVore tinha sete anos de idade. Após sair do dentista, seu pai decidiu registrar os efeitos dos anestésicos aplicados no garoto. Isso garantiu diversos questionamentos sobre a vida e sobre a aparência de seu responsável.

O clipe então ficou guardado por alguns meses até que a família decidiu postar no YouTube para compartilhar com amigos e familiares. No entanto, poucos dias depois, o vídeo se tornou viral. Até o momento, são mais de 140 milhões de visualizações.

Outros memes foram vendidos recentemente como “Bad Luck Brian”, “Grumpy Cat” e “Keyboard Cat”.

O caminho das pedras de US$ 3 mil

Quanto você pagaria por um desenho de uma pedra vendida como NFT? O EtherRock consiste em 100 imagens de rochas desenhadas digitalmente que são leiloadas como NFTs. Preço mínimo? US$ 3 mil.

O valor do EtherRock parece pedrinha, literalmente, se comparado à compra e a especulação da plataforma Cryptopunks. Adquirida por US$ 150 mil pela gigante de cartões de crédito Visa, a negociação de avatares pixelados no site pode já ter chegado a US$ 815 milhões.

A coleção Weird Whales, de um artista de NFT de apenas 12 anos, foi vendida por quase US$ 400 mil. Experiente, ele havia antes comercializado tokens baseados em imagens do Roblox.

Mansões, terrenos e shows de Snoop Dogg a Paris Hilton

A mansão verde de Snoop Dogg tem seus carros preferidos e shows ocasionais com rappers parceiros do artista. Tudo isso virtual em The Sandbox, um metaverso que chegou a US$ 93 milhões de negociações em tokens. A Atari também está lá.

Snoop Dogg junta-se a outros artistas como os rappers da Universal Music e da Warner Brothers, que já comercializam suas estrelas como tokens. Paris Hilton faz shows, vende roupas e conversa com seus fãs com seu token no metaverso. Jimmy Fallon está no Bored Ape Yacht Club. O “clube” de tokens super valiosos, ironicamente, teve um dos NFTs mais baratos já vendidos, quando um colecionador esqueceu de adicionar alguns zeros ao fazer a venda.

Os primeiros serão os últimos, no caso dos tokens

O primeiro tweet de Jack Dorsey, a primeira página da web de Tim Berners-Lee e a primeira página da Wikipédia por Jimmy Wales, estes foram alguns momentos da história da internet global que viraram tokens.

Jack Dorsey vendeu seu primeiro tweet por quase US$ 3 milhões. Tim Berners-Lee leilou na Sotheby’s seu primeiro código-fonte da web por US$ 5,4 milhões. Já Jimmy Wales leiloou na Christie’s, junto com o iMac usado para escrever a página. O artigo saiu por US$ 750 mil e o computador por US$ 188 mil.

O primeiro SMS lucrou um pouco menos, US$ 122 mil. O leilão foi realizado pela Vodafone e o valor foi doado à ONU.

Apostas para 2022 de AAA a NFT

Além dos tokens que marcaram 2021, outras novidades no mercado das criptomoedas ainda devem causar muita polêmica. Um exemplo é a entrada de estúdios de games AAA no mercado, como a Ubisoft. O lançamento trouxe críticas até na forma de mobilização sindical. A EA e o criador do The Sims são outros desenvolvedores que acenaram a favor dos tokens. Até a Riot Games já registrou suas ideias para NFTs. Por outro lado, algumas plataformas e estúdios resistem, como a Steam.

Resta ver quem vai vencer nas apostas, as fichas (ou tokens) estão na mesa.

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *