Ao que parece, os problemas internos de gestão não se limitam apenas a desenvolvedoras da gringa. Isso porque um relatório interno realizado na empresa brasileira de jogos mobile Wildlife Studios revelou uma “cultura de assédio moral” nos bastidores da companhia.

Segundo a entidade sem fins lucrativos Rest of World, o relatório de 22 páginas apresentado em maio de 2020 reporta diversos casos de disparidade salarial, discriminação de gênero, comportamentos machistas e perpetuação de estereótipos sexistas.

Para compor o documento foram feitas entrevistas com oito funcionários e ex-profissionais da Wildlife Studios. As alegações detalhadas no relatório se alinharam à declaração de um ex-profissional de que “há uma cultura de assédio moral” dentro da empresa.

Denúncias contra a Wildlife Studios

Exemplos para as acusações não faltam. Uma das alegações relatadas conta o caso de uma gerente do estúdio que recebeu uma oferta salarial 30% menor do que o de um homem após uma promoção.

Outro exemplo detalha eventos repetidos de estereótipos sexistas, como uma personagem feminina no game mobile Tennis Clash que “foi apresentada de uma maneira extremamente sexualizada”.

Se isso não era ruim o bastante, as denúncias revelam que um dos gerentes da Wildlife Studios afirmou que o papel da empresa “não é quebrar estereótipos, mas de reforçá-los”, em uma clara ação para silenciar as opiniões das mulheres sobre o assunto.

E as denúncias sexistas não param por aí: há relatos de que uma funcionária foi instruída a ser mais “humilde”, de outra profissional que era constantemente ignorada durante as reuniões e de uma terceira que era desestimulada a contribuir em discussões em grupo.

Por falar nisso, uma das entrevistas revelou um grupo de WhatsApp criado pelo departamento de arte de marketing que não continha nenhuma funcionária mulher. Há quem diga que isso era apenas para os membros “poderem falar mais livremente”, mas o relatório apontou que a justificativa não passou de “um eufemismo para comportamento machista”.

Por fim, o relatório conclui que houve poucos esforços para corrigir tais comportamentos sexistas e discriminatórios. A expectativa é de que um reporte completo ajude a transformar a Wildlife Studios em um ambiente “mais seguro, frutífero e motivador”.

O que diz o estúdio

Em resposta ao relatório do Rest of World, um porta-voz da Wildlife Studios disse que a empresa “leva toda e qualquer alegação a sério” e destacou o Programa de Integridade, que tem o objetivo de aprimorar o “compromisso com um local de trabalho seguro, reforçando os valores e fortalecimento da cultura ética” que podem ser encontrados no Código de Conduta da empresa.

Vale lembrar que em 2020, a empresa criou um canal “Fale Conosco” para que os atuais e ex-profissionais pudessem fazer denúncias anônimas sobre comportamentos que vão contra o Código de Conduta e políticas da companhia.

O grande problema é que um ex-funcionário, que chegou a apresentar uma denúncia por meio do canal, não observou nenhuma medida adicional. Outros casos semelhantes também foram reportados, colocando em xeque a eficácia do suporte.

Via: GamesIndustry.biz

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *