Embora o dia 15 de novembro celebre o dia Proclamação da República no Brasil, no mundo, a data marca um feito grandioso para a indústria de eletrônicos. Isso porque há 50 anos, a Intel anunciava o 4004: o primeiro microprocessador da big tech que serviria como modelo para as atuais CPUs disponíveis no mercado.

Trajetória do primeiro processador da Intel

Antes de 1971, a Intel ainda não era conhecida por seus famosos processadores de PCs. A big tech se concentrava principalmente na memória de semicondutores, uma vez que ainda não tinha o conhecimento necessário para desenvolver um processador de uso geral. Mas isso começou a mudar a partir de 1969.

Foi neste ano que a Nippon Calculating Machine Corporation abordou a Intel para projetar 12 chips personalizados para sua calculadora de impressão Busicom 141-PF. A Intel sugeriu uma família de apenas quatro chips, incluindo um que poderia ser programado para uso em uma variedade de produtos.

Conhecido como MCS-4, o conjunto de chips contava com uma unidade de processamento central (CPU) — o 4004 —, um chip de memória somente leitura (ROM), um chip de memória de acesso aleatório (RAM) para processamento de dados e um shift-chip de registro para a porta de entrada/saída (E/S).

Prazer, 4004

Deu certo. Tanto que a Intel comprou os direitos da Nippon Calculating Machine Corporation e resolveu lançar o processador Intel 4004 e seu chipset no dia 15 de novembro de 1971. O anúncio foi feito no tabloide Electronic News e trazia a manchete: “Anunciando uma nova era em eletrônica integrada”.

O anúncio não estava errado. O 4004 foi produzido em wafers de duas polegadas e tinha uma largura da linha de circuito de 10 mícrons ou 10.000 nanômetros — mais fino que um fio de cabelo —, algo inovador para a época. O processador ainda contava com 2.300 transistores e uma velocidade de clock de 740 KHz.

Microprocesador 4004

Imagem: Divulgação/Intel

Embora seja algo muito ultrapassado em comparação com os componentes atuais — que podem ter mais de 5 GHz de velocidade de clock, 7 nanômetros e bilhões de transistores —, o microprocessador entregou o mesmo poder de computação que o primeiro computador eletrônico construído em 1946, que ocupava uma sala inteira.

Anos mais tarde, em 1978, a tecnologia e experiência adquirida pela Intel no desenvolvimento do 4004 culminou no lançamento do 8086, que era a CPU usada no PC original da IBM. Depois disso, as inovações resultaram em componentes de ponta como os vistos nos computadores dos dias de hoje.

A data pode não chamar a atenção dos mais jovens tanto quanto deveria. Contudo, é importante lembrar que se o 4004 não tivesse surgido 50 anos atrás, o cenário dos eletrônicos talvez fosse bem diferente do que é visto atualmente.

Parabéns atrasado, 4004!

Fonte: PCWorld/Intel

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *