Imagem: Shutterstock/Ralf Liebhold

Em uma sessão de perguntas e respostas durante a GTC, na última quarta (23), o CEO da Nvidia revelou que a companhia pode recorrer a uma de suas concorrentes no mercado de chips, a Intel, para fabricar suas GPUs no futuro próximo.

Nvidia e Intel

Não é de hoje que a indústria de tecnologia nos apresenta relações no mínimo complicadas entre empresas do setor. Basta ver que, ao mesmo tempo em que Apple e Samsung concorrem de forma ferrenha no segmento de celulares, são as divisões da sul-coreana que produzem memórias, displays e outros componentes para boa parte do mercado mobile – incluindo para os produtos da Empresa da Maçã.

Isso parece ser exatamente o que pode acontecer entre Nvidia e Intel. Ambas as marcas devem disputar cada vez mais o dinheiro dos consumidores – finais e corporativos – de placas de vídeo, mas isso não impede que elas possam colaborar nesse meio tempo.

Jensen Huang, CEO da Nvidia

Divulgação: Nvidia

Jensen Huang, CEO da Nvidia, não só se diz encantado com a forma como a Intel está expandindo seus esforços na fabricação, como também que sua empresa tem uma mente extremamente aberta na hora de escolher parceiros.

O interesse pode ser mútuo, já que o chefão da Intel, Pat Gelsinger, se mostrou empolgado com a ideia e disse em entrevista à Reuters que aprova o interesse da concorrente em utilizar o potencial das fábricas da marca.

Segredos e futuro do mercado

Huang também minimizou a preocupação dos jornalistas a respeito do compartilhamento de segredos corporativos com a concorrente caso a Nvidia decida levar seus futuros projetos de GPUs para as fábricas da Intel.

“Temos trabalhado em estreita colaboração com a Intel há anos, compartilhando com eles nosso roadmap muito antes de compartilhá-lo com o público. A AMD também conhece nossos segredos há anos. Somos sofisticados e maduros o suficiente para perceber que temos que colaborar [entre nós]”, explica o executivo.

Mais do que confiança e paridade no mercado, a escolha de fornecedor pode apontar para mudanças substanciais na indústria de semicondutores.

Sony e TSMC podem construir fábrica de chips de US$ 7 bilhões no Japão em virtude da crise dos chips

Imagem: Shutterstock

Até há pouco tempo, havia uma grande dependência das empresas de tecnologia em relação à TSMC. A pandemia e a duradoura escassez de chips, no entanto, revelaram a fragilidade desse ecossistema e levaram outras companhias a focarem ainda mais esse mercado.

Por isso, é natural ver nomes como Samsung e Intel despejando dezenas de bilhões de dólares – sim, bilhões – na construção de novas fábricas de chips e mais do que dispostas a atender à demanda de novos clientes, como a própria Nvidia.

Via: PCGamer

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.