Imagem: Reprodução/Kazuhiko Nishi

Lançado em 1983, o MSX foi uma arquitetura de computador — que também era usado como videogame — bastante popular no mercado asiático na época. Muitos achavam que o legado havia acabado em 1990, com a versão turboR. Mas fato é que a linha de hardware está prestes a voltar ao mercado.

Para recordar

Desenvolvido pela Microsoft Japão e a ASCII Corporation, o MSX foi uma tentativa de criar uma arquitetura padrão para PC com um singelo microprocessador de 8 bits. O modelo de negócios pensado permitia que outras empresas (como Mitsubishi, Casio e Sony) fabricassem o sistema.

Também capaz de rodar jogos como Altered Beast e Metal Gear, a linha tornou-se um sucesso na Ásia: sete milhões de máquinas foram vendidas somente no Japão após sua estreia em 1983. O sucesso fez com que a arquitetura ganhasse modelos atualizados: a versão 2, 2+ e a turboR — a última versão lançada em 1990.

Muitos achavam que a história do MSX havia acabado ali. Mas talvez não sabiam que seria necessário aguardar por mais de três décadas para verem um retorno da linha.

MSX de volta na área

E o retorno aconteceu. Embora a ASCII tenha sido extinta em 2008 após uma fusão, a continuidade do projeto seguiu firme na cabeça de Kazuhiko Nishi, ex-engenheiro da finada companhia. Agora, ele firmou uma parceria com a D4 Enterprise para anunciar o MSX 3: um PC autônomo que carregará as raízes da arquitetura.

Especializada em preservação de jogos, a D4 Enterprise tem como ideia colocar jogos de MSX em plataformas modernas para manter a história do hardware viva. Mas o novo produto será mais que isso: incluirá uma CPU baseada em Arm e suportará as linguagens C, Python e LISP.

O dispositivo autônomo também incluirá um slot opcional para DVD e discos Blu-Ray. E, não menos importante, o novo PC também será compatível com as arquiteturas antigas da ASCII.

Quando chega?

O MSX 3 será lançado ainda este ano e, segundo Nishi, o anúncio ocorrerá até setembro. Além disso, outros produtos serão lançados até o fim de 2022: o MSX Engine 3 para “OEMs e construtores de sistemas”, dois teclados (“Pro” e “Light”), além de um cartucho IOT.

Via: PC Gamer

Comentários

1

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  • Eduardo
    26 de julho de 2022 - 16:01

    ou seja, vamos fazer outra coisa, emular o hardware – provavelmente qual o circuito fpgs – e dar o nome de msx 3.. será?