Imagem: Divulgação/BMW

Há alguns dias, relatamos aqui no TecMasters sobre um plano de assinatura da BMW que basicamente ativa o aquecimento de bancos dos veículos por meio de um desbloqueio de hardware. Mas como era de se esperar, motoristas estão descobrindo novas formas de hack para habilitar o recurso sem precisar pagar a fabricante.

Para quem não sabe, os componentes necessários para os assentos quentinhos em alguns veículos da BMW já estão inclusos nos carros. Contudo, a marca limitou o recurso com um bloqueio de hardware e introduziu assinaturas (mensais, anuais ou vitalícias) para que os usuários desbloqueiem e usufruam da função.

Loja BMW

Imagem: Reprodução/BMW

Diante disso, motoristas experientes estão aprendendo como burlar esses sistemas — sim, uma espécie de hacks de carros —, segundo a Wired. Claro que isso não é de graça, mas a prática pode sair bem mais em conta do que o valor cobrado pela fabricante alemã.

Ameaça pirata aos veículos da BMW

Prova disso é que já existem empresas focadas em ajustes de chips — por meio de modificações ou alterações EEPROMs — para aumentar o desempenho de um carro, a exemplo da Litchfield Motors. Inclusive, a companhia sediada no Reino Unido afirma que esses desbloqueios não são novidades para a indústria automobilística, que tem restringido recursos de veículos há algum tempo.

“Quando o Nissan GTR foi lançado [em 2007] tinha cerca de 480 cv, mas as edições finais tinham cerca de 560 cv”, disse Iain Litchfield, proprietário da Litchfield Motors. “Tudo o que a Nissan fez foi continuar aumentando o turbo, 0,1 da barra de cada vez. Eles diriam que o escapamento ou um intercooler foi alterado e podiam ser um pouco diferentes, mas na verdade foi o boost que deu a elevação”, revelou.

Litchfield revela ainda que configurações de rádio DAB, sequência de travamento central e até tempo de funcionamento dos limpadores automáticos são personalizações frequentes de proprietários da BMW. O único problema é que a marca está otimizando suas chaves de criptografia e, como os carros estão conectados diretamente com a fabricante, ela pode redefinir para especificações de fábrica caso detecte algum desbloqueio não autorizado.

Em suma, isso significa que motoristas até podem hackear seus veículos para habilitar o aquecimento dos assentos, mas sempre haverá o risco da empresa alemã reverter o desbloqueio. Resta saber se essas práticas piratas em carros evoluirão ao ponto de ignorar sucessivas restrições, como o que já é visto em videogames e acessos a filmes e séries.

Se isso acontecer, BMW e outras fabricantes automobilísticas terão novas preocupações.

Via: PC Gamer

Comentários

1

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  • O observador
    26 de julho de 2022 - 22:55

    Tenho medo do futuro com controle por empresas gigantes e o estado que nos aguarda. É o cúmulo você pagar uma fortuna num carro e ter que “pagar DLCs” pra usar itens que saem de fábrica.