Os modders muitas vezes são responsáveis por dar vida nova a jogos há muito esquecidos pelas próprias produtoras. Mas pouco se sabe que um dos embriões para a vasta comunidade de modificações que temos hoje foi o fórum ModDB, fundado há 18 anos por Scott Reismanis.

Na época, segundo o fundador, a inspiração veio do fato de que “simplesmente não havia uma maneira de as pessoas colaborarem” e compartilharem seu trabalho de modificação na internet. Ele ainda diz que a comunidade evoluiu muito e que a principal diferença para os dias de hoje é que, “se você quisesse fazer uma experiência de jogo ou um conteúdo, praticamente não conseguiria”.

Mesmo assim, Reismanis, em entrevista ao NME, reconhece o papel que a comunidade de modificações teve no mundo gamer. “No momento, é muito mais fácil modificar um jogo existente e apelar para o público já existente que o jogo tem, então acho que veremos criações cada vez maiores surgirem”, afirma.

Vale lembrar que “Counter Strike” foi originalmente concebido como mod de “Half-Life” e agora figura na lista de shooters mais importantes dos games. Em outro exemplo disso temos “DayZ”, versão modificada de “Arma 2”. O patch tornou-se um sucesso e inspirou diretamente games do estilo battle royale, como “PUBG”.

Por isso, Reismanis reconhece que é importante que as empresas comecem a dar aos jogadores ferramentas e deixá-los quase criar o jogo por si próprios para que a indústria evolua. Ele comenta que algumas companhias já contam com isso (Microsoft com “Minecraft” e PlayStation com o “Dreams”).

No entanto, por mais que a comunidade de modificações seja uma peça importante para alguns jogos, ele diz que as empresas responsáveis pelos títulos devem saber como controlar essa iniciativa, já que tudo é uma “via de mão dupla”.

Como exemplo dessa ideia, Reismanis fala sobre a Valve, explicando como o estúdio consegue controlar essa questão.

“Eu acho que há uma boa razão para a Valve ser bastante receptiva à comunidade de modificação e criadores, seus dois maiores jogos foram feitos por modders. A Valve tem continuamente identificado alguém fazendo algo realmente incrível e dá a eles os recursos, o tempo e o apoio para realizar sua visão”, comenta.

Ele ainda acrescenta que abraçar as comunidades e o conteúdo que criam para os jogos é uma forma de desbloquear uma parte inexplorada de uma base de jogadores. “Uma das melhores coisas sobre como habilitar modding e conteúdo gerado pelo usuário em seu jogo é que sempre há uma porcentagem de seus jogadores que apenas aproveitam mais a criação. Existem jogadores que são consumidores e querem apenas se envolver com o jogo em si, e aqueles que querem fazer parte da construção e da expressão criativa”.

Por fim, Reismanis diz que a ideia de criar modificação para um jogo nada mais é do que uma forma de demonstrar o amor por aquele game. “Acho que nunca falei com um único criador de mod que estivesse trabalhando em um projeto que não fosse por amor ao jogo”, finaliza.

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *