Imagem: Sora Shimazaki/Pexels

Na última quinta-feira (7), a Microsoft revelou ter mitigado ataques cibernéticos russos que tinham como alvo organizações ucranianas e instituições governamentais nos Estados Unidos e União Europeia envolvidos na política externa.

Microsoft impede mais um ataque

Segundo a big tech, as investigações atribuíram os ataques ao grupo “Strontium”, formado por militares espiões da Rússia, que vinha sendo monitorado há anos pela companhia.

Ao que parece, o Strontium estava tentando estabelecer acesso de longo prazo aos sistemas de seus alvos — incluindo organizações de mídia — com o intuito de fornecer suporte tático para a invasão física e exfiltrar informações confidenciais.

Na operação feita nesta semana, a Microsoft assumiu a posse de sete domínios da internet usados pelo grupo. Posteriormente, esses domínios foram redirecionados para um sumidouro controlado pela big tech, possibilitando a mitigação dos ataques e a notificação às vítimas.

Guerra também no campo digital

Apesar de a Microsoft ter mitigado esse ataque, as ameaças devem continuar. Desde que a Rússia invadiu a Ucrânia, ataques hackers de ambos os lados têm sido vistos e é improvável que a situação melhore antes que o conflito entre os dois países seja resolvido.

Se antes as guerras limitavam-se a lutas armadas e sanções econômicas, hoje, elas também envolvem o ambiente online. E assim será daqui pra frente.

Via: Reuters

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.