Mass Effect” é um jogo que sempre chamou bastante a atenção por sua proposta de apresentar escolhas que podem definir o destino do jogador. Isso não é basicamente novidade, mas foi feito de forma magistral com a trilogia de jogos original.

Por conta disso, quando a EA anunciou “Mass Effect Legendary Edition”, fiquei pessoalmente animado, já que eu teria a oportunidade de revisitar os games com um novo visual, graças à remasterização produzida.

Felizmente, o projeto foi feito de maneira bastante competente e mostra uma clara evolução para os jogos – principalmente em relação ao primeiro, em que os detalhes são mais perceptíveis.

Escolhas

O game coloca o jogador na pele do Comandante Shepard, um veterano de guerra, que deve lutar contra raças alienígenas que estão dizimando populações inteiras.

Apesar de uma premissa à primeira vista comum, o game se destaca pela profundidade em que esses assuntos são tratados, bem como nas opções e escolhas que podem ser feitas durante a narrativa – e que impactam diretamente no final, não só do primeiro game, mas da trilogia inteira.

Isso porque, quando um dos jogos é terminado, grande parte das escolhas do jogador é transferida para a aventura seguinte, fazendo com que alguns personagens possam apresentar atitudes diferentes, mas todas baseadas no que foi escolhido anteriormente. Em alguns casos, inclusive, um caminho tomado pode até resultar na morte de alguém importante. Por conta disso, sempre pese todas as alternativas antes de fazer uma escolha.

Mass Effect

Foto: EA

Apesar dessa profundidade, vale ressaltar que o game passou por melhorias significativas, mas não recebeu localização em nosso idioma. Isso significa que o inglês deverá ser colocado à prova, já que “Mass Effect” é um jogo com uma narrativa densa, e que exige bastante compreensão dos diálogos e textos encontrados pela jogatina para que a história fique clara e a motivação dos personagens seja entendida. Por isso, tenha em mente que a experiência pode ser um pouco frustrante para quem não tem total domínio da língua inglesa.

Questão gráfica

Como já citado, o grande destaque da remasterização dos jogos é a alteração gráfica feita. Essa questão é mais pronunciada no primeiro game, que foi lançado em 2007. Os outros dois parecem mais ports que remasterizações, já que parecem não ter recebido o mesmo cuidado no processo.

Mass Effect diferença

Foto: EA

Isso fica evidente em alguns momentos de close nas expressões faciais dos personagens. Se colocados lado a lado com a versão original, pouca mudança pode ser percebida. Isso não quer dizer que, necessariamente, os games tenham ficado piores – muito pelo contrário -, apenas que não há diferenças significativas.

No entanto, como nem tudo pode ser mudado em um remaster, as expressões faciais ainda continuam travadas e o rosto quase sem expressão. Obviamente isso pode ser justificado pelo fato de que, na época em que os jogos saíram, a captura de movimentos não era realizada da mesma forma que hoje.

Apesar de não ser algo que atrapalha o jogo no geral, só destoa do que muitos estão acostumados. Felizmente, essa questão é evidente apenas no primeiro game. A situação muda um pouco nos dois seguintes.

Combates mais fluídos

O primeiro “Mass Effect” não ficou necessariamente conhecido por ter um combate facilitado, já que era possível utilizar armas que pertenciam apenas à classe escolhida pelo jogador. Isso foi corrigido nos games seguintes, mas o original ainda sofria com essa questão.

Mass Effect

Foto: EA

Com o remaster, felizmente, isso foi mudado. Agora, apesar de poder continuar utilizando as armas específicas, o jogador tem mais opções para concluir a jogatina.

Além disso, uma das maiores mudanças é a implementação de um botão específico para o combate corpo a corpo – que antes só era permitido em situações específicas. Com isso, o jogador deve passar a dosar melhor qual a abordagem será adotada em certos momentos. O que torna o game ainda mais interessante e diversificado.

Conclusão

Apesar dessas questões, “Mass Effect Legendary Edition” é um projeto competente, que consegue manter a essência dos games originais ao mesmo tempo que melhora o que era necessário. Uma ótima oportunidade para quem deseja conhecer a história do Comandante Shepard pela primeira vez e lidar com as consequências das ações tomadas na jogatina.

O interessante do lançamento é que todas as DLCs estão presentes nos respectivos jogos. Por outro lado, o modo multiplayer de “Mass Effect 3”, que foi bastante elogiado na época, ficou de fora.

Mass Effect

Foto: EA

“Mass Effect Legendary Edition” é um bom equilíbrio entre uma remasterização e um projeto original. As adições dão vida nova ao famoso game e tem tudo para agradar os fãs e jogadores novos.

O game está disponível para PlayStation 4, Xbox One, PC – e consoles Xbox Series X/S e PlayStation 5 por meio da compatibilidade com os videogames anteriores.

A análise foi realizada no PlayStation 5 com uma cópia enviada pela equipe da Electronic Arts.

Comentários

1

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Diego Araujo
    2 de julho de 2021 - 02:42

    Eu era viciado em mass effect!