Após derrubar sites da Saúde na madrugada desta sexta (10), o Lapsus$ Group anunciou mais páginas retiradas do ar nesta tarde, entre elas as da Secretaria do Governo (SGD), VLibras, Sistema de Administração dos Recursos de Tecnologia da Informação (SISP) e Serviços.

Em deface no site do SISP, o grupo explica que o hacking é apenas para “obter dinheiro”, sem motivações políticas — “não ligamos para a família Bolsonaro”. Ainda, afirmam na mensagem deixada que “um emaranhado de servidores foram enviados para o nosso cemitério de ‘dados mortos'”. Por fim, sugerem: “A solução ágil é o pagamento do resgate”.

No Telegram, o grupo disse ter enviado mais provas de que estão em poder dos dados e que não estão “para brincadeira”.

Abaixo, a mensagem na íntegra:

“Enviamos mais provas dos dados que temos posse, a equipe de funcionários dos alvos terão que ter paciência. NÃO estamos para brincadeiras, o tempo de parquinho passou, fiquem cientes. Lembre-se: o único objetivo é o dinheiro, nossos motivos não são políticos, teorias ao nosso respeito não passam de falcatrua.”

PF instaura inquérito para investigar suposto sequestro de dados

Mais cedo, a Polícia Federal (PF) soltou um comunicado informando que foi acionada para atender a ocorrência de incidente de segurança cibernético no ambiente aos sistemas do Ministério da Saúde, mas que o Núcleo de Operações de Inteligência Cibernética, que foi até o Datasus — o “data center” do Ministério da Saúde, nega ataque ransomware ou qualquer sequestro de dados.

“Foi constatado que os bancos de dados de sistemas do Ministério da Saúde não foram criptografados pelos hackers. A ocorrência de incidente de segurança cibernético no ambiente de nuvem pública (AWS), com comprometimento de sistemas de notificação de casos de Covid, do Programa Nacional de Imunização e do ConectSUS.”

“A PF instaurou inquérito policial nesta tarde para apuração de autoria e materialidade dos crimes de invasão de dispositivo informático, interrupção ou perturbação de serviço informático, telemático ou de informação de utilidade pública e associação criminosa.”

 

O TecMasters segue acompanhando o caso e deve atualizar esta nota assim que mais informações surgirem.

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *