Reprodução: Divulgação/Ubisoft

O uso de hacks ou mau comportamento dentro de um jogo podem ser alguns bons motivos para ter sua conta excluída. Mas o que muitos talvez não saibam é que a inatividade do usuário também pode resultar na exclusão do perfil de alguns serviços de videogame, como o da Ubisoft.

Inclusive, este foi o caso relatado pelo gamer norueguês Tor. Em 2020, ele decidiu vender seu computador para frear o vício nas jogatinas e melhorar sua qualidade de vida. A decisão fez com que o jogador se desfizesse de um PC com Core i7 e GPU GTX 1080 Ti, ficando apenas com seu smartphone.

A pausa durou pouco, uma vez que Tor decidiu voltar a jogar já no terceiro trimestre deste ano. Mas o grande problema é que, após adquirir um novo computador, ele percebeu que não conseguia mais logar em sua conta Ubisoft. Após algumas tentativas, ele foi capaz de redefinir a senha, mas descobriu que seu perfil havia sido fechado.

Isso por si só já seria algo dramático — imagina perder o progresso após horas de gameplay? Mas a situação fica ainda pior tendo em vista que o norueguês nem ao menos recebeu uma notificação, além de o fato de ter gastado várias centenas de dólares em jogos como Rainbow Six Siege, Assassin’s Creed, entre outros.

Ao contatar o suporte da Ubisoft, o gamer descobriu que sua conta havia sido descontinuada por conta do período em inatividade. A coisa mais frustrante, no entanto, é que a equipe da companhia afirmou incialmente que não poderia recuperar o perfil, uma vez que ele tinha sido bloqueado permanentemente.

Pode isso, Arnaldo?

Talvez o comentarista de futebol da Globo não saiba responder a pergunta, mas fato é que a própria política da empresa dá luz sobre o ocorrido. Na verdade, há um um trecho nos termos de contrato de serviços internacionais da Ubisoft que explicita a exclusão de contas como uma das medidas para inatividade.

“Podemos suspender ou encerrar sua conta e sua capacidade de usar um ou mais serviços ou parte dos serviços, a qualquer momento, automaticamente e a nosso exclusivo critério, mediante notificação, quando sua conta estiver inativa por mais de seis meses”, diz o trecho do documento.

Políticas da Ubisoft

Imagem: Reprodução/Ubisoft

Aliás, Ryan Morrison, advogado especializado em leis de videogame, afirma que a medida pode ser adotada por qualquer editor ou serviço de jogo mesmo que o encerramento de uma conta devido à inatividade não esteja descrito explicitamente.

Segundo ele, diferentemente das mídias físicas, as mídias digitais de jogos são apenas licenças para rodar os títulos. Logo, as publicadoras podem revogar a licença quando bem entenderem, seja por justificativas de inatividade da conta, por questões de segurança ou por outros fatores.

Ao PCWorld, a Valve afirmou que não desativa contas da Steam inativas. Blizzard e Good Old Games, por sua vez, não dizem nada sobre o fechamento por inatividade. Mas a mesma política da Ubisoft é adotada por empresas como Microsoft (para o jogo Minecraft Realms) e Riot Games (para o Valorant).

O que diz a Ubisoft

Em resposta ao caso do norueguês Tor, funcionários da Ubisoft afirmaram que a política de exclusão de contas por inatividade é necessária para o cumprimento do Regulamento Geral de Proteção de Dados da Europa e para combater fraudes. Além disso, a medida tem como base quatro critérios específicos:

  • A atividade de jogo da conta desde a sua criação;
  • A propriedade de jogos de PC desde a criação da conta: contas vinculadas a jogos comprados não são elegíveis para exclusão;
  • A duração da inatividade da conta, ou seja, o último login em nosso ecossistema (incluindo jogos da Ubisoft no Steam e outras plataformas). Embora nossos Termos de Uso devam refletir todas as possibilidades, na prática, nunca excluímos contas que ficaram inativas por menos de 4 anos;
  • A existência de uma assinatura ativa da Ubisoft + relacionada à conta.

Como visto, os critérios não se aplicaram ao caso de Tor. O gamer ficou inativo por menos de dois anos, realizou compras diretamente da publicadora e não recebeu notificações no período de 30 dias. Por conta disso, a Ubisoft disse que vai investigar o ocorrido e tomar medidas adequadas.

De todo modo, o evento serve para deixar os demais aficionados por videogames em estado de alerta. Sim, as empresas podem simplesmente excluir as contas em caso de inatividade. E, sim, isso não representa nenhuma ilegalidade — a menos que etapas obrigatórias não sejam cumpridas ao longo do processo.

Fonte: PCWorld

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.