Imagem: Sebastian Kurpiel/Unsplash

Ficar irritado com determinado jogo pode ser algo natural, mas o que um morador de Toyokawa (Japão) fez ultrapassou qualquer limite. Frustrado por ter perdido em um jogo online, o japonês Akira Watanabe, de 54 anos, enviou diversas ameaças de morte para a Sega.

Segundo o portal de notícias local Yomiuri, o indivíduo enviou 12 e-mails ameaçadores para a desenvolvedora e publicadora japonesa entre dezembro de 2021 e fevereiro deste ano. Nas mensagens, Watanabe disse que “incendiaria a Sega”, “mataria funcionários” e até mesmo “as famílias e filhos dos profissionais”.

Alívio para a Sega

O indivíduo então foi preso em 16 de março por obstrução de um negócio. Posteriormente, ele confessou que enviou todas os e-mails para o formulário de contato da companhia por meio de seu celular após perder em um jogo. Até o momento, a mídia do Japão não divulgou o título que motivou as ameaças.

Fossem as ameaças verdadeiras ou não, o caso evoca a tragédia da Kyoto Animation. Em 2019, o estúdio japonês foi incendiado por Shinji Aoba, que acusou a companhia de ter roubado um roteiro de sua autoria. O evento catastrófico causou a morte de 36 pessoas.

Depois do evento, outras empresas japonesas (como Akira, Konami e um fliperama localizado no Japão) também foram ameaçadas. Curiosamente, todas os casos envolviam pessoas frustradas com algum jogo. Felizmente, todos os ameaçadores também foram presos.

O mais recente caso da Sega é mais uma prova viva de que as empresas de jogos e as autoridades japonesas mostram tolerância zero contra tais ameaças. Algo totalmente justificável tendo em vista o passado sombrio que vira e mexe volta a figurar nos tabloides internacionais.

Via: Kotaku

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.