Futuras fábricas da Intel em Ohio - (Imagem: Intel)

A Intel investirá mais de US$ 20 bilhões para construir duas fábricas de chips em Ohio, no meio-oeste dos EUA. A empresa quer suprir a demanda crescente por semicondutores avançados, com uma nova geração de produtos e aumentar sua capacidade de fornecimento.

O governador do estado, Mike DeWine, afirmou que as fábricas resultam em milhares de empregos na região, em uma área estratégica. “Manufatura avançada, pesquisa e desenvolvimento e talento fazem parte do DNA de Ohio”, de acordo com DeWine em comunicado.

Para o desenvolvimento das empreitadas, a empresa prometeu mais US$ 100 milhões para parcerias com instituições educacionais para criar programas de pesquisa e talento na região.

O CEO Pat Gelsinger declarou que a companhia pretende conduzir os esforços dos EUA de restaurar uma posição de liderança na produção de semicondutores. As ações da empresa pretendem criar uma cadeia de fornecedores mais robusta e garantir o fornecimento de produtos por décadas. “As fábricas serão um epicentro para produção avançada de chips nos EUA que irão fortalecer a capacidade da Intel de fornecer pesquisa e alta tecnologia do laboratório à manufatura”, de acordo com Gelsinger.

Local das futuras fábricas da Intel

Local das futuras fábricas da Intel – (Imagem: Intel)

Investimentos podem aumentar ainda em US$ 100 bilhões

O investimento realizado pela empresa é o maior já feito pela iniciativa privada em Ohio. A previsão de criação de empregos será de 3.000 vagas para a Intel e 7.000 para a construção civil enquanto serão erguidas as fábricas. O ecossistema de fornecedores e parceiros gerará ainda outras dezenas de milhares de empregos.

As fábricas se localizam em 1.000 acres em Licking County, próximo a Columbus. Serão oito locais de produção (fabs) e o investimento pode aumentar em mais US$ 100 bilhões nos próximos dez anos. A Intel afirma que será o maior local de fabricação de chips do mundo.

O planejamento das duas primeiras fabs começará imediatamente, com a construção no segundo semestre de 2022. O início da produção está previsto para 2025. Entre as empresas parceiras que já colaboram com o projeto estão Air Products, Applied Materials, LAM Research e Ultra Clean Technology.

A Intel é um dos membros da SIA (Associação da Indústria de Semicondutores). O CHIPS Act, uma lei proposta com a ajuda da associação para apoiar a produção de semicondutores, ajudou na realização do projeto, de acordo com Keyvan Esfarjani, vice-presidente senior de manufatura, fornecedores e operações da Intel. A expansão da Intel em Ohio depende de verbas resultantes da legislação.

Cerca de US$ 100 milhões de investimento irão para universidades, faculdades e a Fundação Nacional da Ciência dos EUA. As organizações serão parceiras em projetos de pesquisa colaborativos e na construção de currículo para cursos profissionais e de graduação.

A presidente da Universidade Estadual de Ohio, Kristina M. Johnson, ressaltou que os chips estarão no centro de várias futuras pesquisas da universidade, incluindo inteligência artificial, computação quântica, desenvolvimento de vacinas e outras. “Ainda enfrentamos uma escassez global de chips. No entanto, essa é uma oportunidade marcante para nossos alunos atuais e futuros”, afirmou. A universidade fechou parceria com o portal JobsOhio para atrair profissionais voltados à inovação.

O impacto ao meio ambiente causado pela construção será minimizado, de acordo com a Intel. A empresa afirma ter um compromisso com a sustentabilidade e princípios de design verde, com fontes de energia renováveis e política de lixo zero.

Outro destaque do planejamento é o objetivo de uso água “net-positive” ou “líquido positivo”. A ideia é a otimização do consumo e reciclagem, além da captura de água da chuva, para que seja gerada mais água do que consumida.

Apoio ao Intel Foundry Services

As novas fábricas fornecerão suporte para a demanda crescente do novo negócio de fundição da empresa, o Intel Foundry Services (IFS). “Com a IFS, a Intel abre sua fábrica para suprir a demanda de consumidores de fundição de todo o mundo, muitos buscando maior equilíbrio geográfico na cadeia de fornecimento de semicondutores. As fábricas são planejadas para a ‘era Angstrom’ com processos avançados de tecnologia, como o Intel 18A. Estas tecnologias são críticas para diversas aplicações com alto desempenho em computação móvel e inteligência artificial“, afirmou o Dr. Randhir Thakur, presidente da IFS.

As necessidades de segurança e infraestrutura do governo americano também serão supridas pela produção de alta tecnologia das novas fábricas em Ohio, afirmou a Intel.

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.