Doomscrolling é um termo recente que surgiu para designar a prática de ficar em redes sociais lendo apenas notícias ruins – ou de tragédia. Um guitarrista de Dallas, chamado Dustin Mitchell, achou que esse seria o nome perfeito para uma nova banda.

No entanto, quando tentou registrar o nome, a Id Software, criadora do jogo “Doom”, foi totalmente contra. A ideia do músico era usar o nome para uma “banda de trash metal progressivo”.

Segundo Mitchel, o termo chamou sua atenção após ter sido lido em um artigo sobre uma mulher que destruiu uma prateleira de máscaras na loja Target. Quando foi se explicar, ela usou a palavra que logo se tornou uma das favoritas do músico.

Depois disso, Mitchell decidiu registrar o nome de sua nova banda em fevereiro no Escritório de Marcas e Patentes dos Estados Unidos. Meses depois, ele recebeu um comunicado dizendo que seu registro foi aprovado e em 30 dias sua marca estaria definida.

No entanto, em 13 de outubro, no último dia do período citado, ele recebeu um e-mail de um advogado da Id Software falando sobre o registro do nome e em como isso feria a propriedade intelectual da empresa.

O homem se disse surpreso, pois sempre foi fã de “Doom”. “Eles [Id Software] estão tentando tirar algo de mim que não tem nenhuma relação com eles”, disse Mitchell.

Por enquanto, o futuro da banda Doomscroll é incerto, já que diversas audiências devem ser realizadas até que uma decisão seja tomada. Por conta disso, essa é uma luta que deve demorar alguns anos para ser resolvida – a menos que o músico desista do nome.

Via: Kotaku

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *