O Reddit oficializou o processo de IPO da empresa, tendo apresentado nesta quarta-feira (15) o prospecto de abertura de capital de ações ordinárias à Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC).

Por ser um movimento super recente, a empresa não divulgou o número de ações a serem ofertadas, tampouco a faixa de preço que pretende fixar os papéis e acrescentou que “estamos em um período de silêncio e, por questões regulatórias, não podemos dizer mais nada”.

Mais detalhes, no entanto, devem surgir após o processo de análise e aprovação da Comissão, ainda sujeito a alterações e condições normais de temperatura e pressão do mercado.

Rumores do IPO: o início

Os rumores de que a companhia estudava a possibilidade de abrir capital começaram em meados de agosto deste ano, quando o CEO e cofundador da empresa, Steve Huffman, em entrevista ao The New York Times, teria demonstrado o desejo da companhia de entrar na bolsa — mesmo sem dar detalhes sobre quando o movimento poderia ocorrer, ou mesmo se era uma possibilidade real no curto prazo.

Foi nessa mesma época — e reforçando as expectativas —, que o Reddit anunciou o aporte de US$ 700 milhões em uma rodada de investimentos liderada pelo fundo Fidelity Investments.

Placa de Wall Street, em Nova York

Imagem: Sophie Backes/Unsplash

 

A rodada elevou o valor de mercado da empresa para US$ 10 bilhões. À época, o Financial Times considerou que a injeção de capital teria contribuído consideravelmente para o crescimento da empresa, que triplicou em dois anos e meio.

Um mês depois, em setembro, a Reuters divulgou, citando fontes anônimas próximas ao assunto, que a plataforma teria iniciado sua busca por bancos de investimentos e advogados que pudessem guiar o IPO.

Reddit e a liberdade de expressão

O Reddit foi fundado em 2005 por Huffman e por Alexis Ohanian, seu ex-colega de faculdade que, como muitas histórias de empreendedores nos Estados Unidos, decidiram fundar uma empresa logo após se formarem.

Aqui, tomo a liberdade de fazer um parênteses (desnecessário, porém curioso): Ohanian é casado com a tenista Serena Williams — sim, “A” Serena Williams que, inclusive, deve ter sua história recentemente contada em “King Richard”, um dos longas indicados ao Golden Globe deste ano em quatro categorias: Melhor filme dramático, Melhor ator – drama (Will Smith), Melhor atriz coadjuvante (Aunjanue Ellis) e Melhor música original (“Be Alive”, por ​​Beyoncé Knowles-Carter e Dixson).

Mas, de volta aos negócios: com apenas um ano de idade, o site ganhou corpo e uma voz própria, visto que foi encarado pelos usuários como um local confortável para compartilhar ideias. (A plataforma basicamente se tornou a dona das ‘panelinhas’ em que todo mundo queria estar).

O barulho feito pelo site foi tamanho, que ele foi comprado por US$ 10 milhões pela gigante da mídia impressa Condé Nast Publications (responsável por algumas revistas bem icônicas como Glamour, GQ, Vanity Fair, Vogue, Wired) para, um tempo depois, se tornar um braço independente da empresa (que permanece no controle acionário).

Nesse meio tempo, os fundadores deixaram a companhia. Huffman retornou como CEO apenas em 2015.

Linha do tempo (ou um breve resumo do que rolou)

  • 2005 – Fundação.
  • 2006 – Vendida para a Condé Nast, por US$ 10 milhões.
  • 2009 – Huffman e Ohanian deixam a empresa.
  • 2011 – Ganha independência, mas Condé Nast mantém participação acionária.
  • 2014 – Recebe US$ 50 milhões em rodada de investimentos liderada por Sam Altman. O aporte contou com grandes nomes do mercado como Marc Andreessen e Peter Thiel, além de outras celebridades como Snoop Dogg e Jared Leto.
  • 2017 – Outra rodada de investimentos, dessa vez no valor de US$ 200 milhões. A empresa passa a valer US$ 1,8 bilhão.
  • 2019 – A gigante chinesa Tencent aportou US$ 150 milhões, elevando o valor de mercado da empresa para US$ 3 bilhões.
  • 2021 – Rodada de investimentos no valor de US$ 700 milhões, liderada pela Fidelity Investments. Novo valor de mercado da empresa bate a marca de US$ 10 bilhões.
  • 2022 – IPO…?

Polêmica? Temos!

Agora, a parte das controvérsias: por seu um recanto de troca de ideias, a plataforma é regularmente conectada a algum movimento polêmico na web (e especialmente fora dela também).

Como quando Ellen Pao, antiga CEO interina, sofreu um ataque (digital) dos próprios usuários da plataforma, descontentes com a liderança da moça. Ela posteriormente nomeou o tumulto como “o maior ataque feito por trolls na história”. Caso você tenha se perguntado, ela renunciou ao cargo apenas 8 meses após assumi-lo, tamanha foi a pressão.

Imagem da página de erro do site Reddit, com o desenho do robô ícone da página perdido em um deserto

Imagem: reprodução/Reddit

Ou, ainda, em janeiro deste ano, quando usuários de uma comunidade do Reddit, que discutiam sobre bolsa de valores e outros investimentos na rede, manipularam Wall Street comprando uma porção de ações em um movimento que fez o valor dos papéis da GameStop aumentarem rapidamente, chegando a ficar um valor 2.600% acima em menos de 20 dias.

Tudo isso para ajudar a marca e ir contra o que os analistas de mercado acreditavam (e tubarões de Wall Street apostavam): de que a loja de games iria falir.

Mas essas polêmicas, na verdade, são as responsáveis por dar aquele toque todo especial ao serviço e manter a plataforma viva por tantos anos.

E o que vem depois?

Das mídias sociais que surgiram na época em que grande parte das mídias sociais da “velha guarda” surgiram, o Reddit é uma das últimas remanescentes que continuam com o capital fechado.

Mas isso não necessariamente é algo ruim. Hoje, o Reddit é a 20ª página mais acessada do mundo, de acordo com o ranking Alexa. A expectativa, no fim das contas, é que a empresa consiga alcançar com o IPO um valor de mercado de US$ 15 bilhões.

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *