Um dos maiores destaques do Nintendo Switch OLED é a implementação de uma nova tela. No entanto, essa não parece ser a única alteração do console. Isso porque um vídeo de desmontagem feito pelo iFixit descobriu que a empresa fez alguns ajustes internos que tornam o console um pouco diferente da versão anterior.

Assim como ocorreu com a variante revisada do PlayStation 5, o Switch OLED possui um sistema de resfriamento menor que o visto anteriormente. De acordo com o site, a decisão da Nintendo pode ter sido tomada para que o console não tenha “sobrecompensação de resfriamento”, algo presente no modelo de lançamento.

Vale lembrar que, apesar dessa alteração, isso não quer dizer que o novo modelo é “pior” que o antecessor. Ao que parece, a Nintendo apenas quis otimizar o espaço do console. Iniciativa que pode ser vista também na ideia de consolidar outros componentes em uma única placa.

Esse é o caso do leitor de cartão SD, o conector de fone de ouvido e o leitor de cartuchos, que agora estão localizados em uma única unidade.

Mas, além dos componentes internos, o Switch OLED também conta com alterações na parte dos controles. O console conta com um conjunto novo de “trilhos” nas laterais para segurar os Joy-Cons com mais segurança.

Além disso, os cabos de interconexão do videogame agora ficam “colados” na parte superior de uma blindagem de metal. Isso vai tornar a manutenção do console mais difícil, mas deve ter sido feita para ajudar com problemas de conectividade Wi-Fi e Bluetooth.

Por fim, o iFixit deu para o Switch OLED uma nota sete de um total de dez em uma escala que mede a facilidade de reparos do console – um número menor do que o alcançado pelo modelo anterior da Nintendo.

Via: Engadget

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *