O CEO da Ubisoft, Yves Guillemot, reuniu os funcionários em uma videoconferência para confirmar que a empresa continuará a investir em NFTs. A reunião, que não estava agendada, surpreendeu os funcionários da empresa no início da semana de 20 de dezembro.

Fontes que participaram da reunião afirmaram que as respostas de Guillemot foram vagas e apoiadas no jargão “metaverso”, “web 3.0”, de acordo com o Kotaku. Ainda há opositores à tecnologia blockchain e aos NFTs entre os funcionários da empresa.

Tudo começou no início de dezembro, quando a empresa anunciou o lançamento da plataforma Quartz. A iniciativa comercializaria itens únicos digitais autenticados em blockchain (NFTs) ligados aos games da empresa. O primeiro título a recebê-los é Tom Clancy`s: Ghost Recon Breakpoint.

NFTs da Ubisoft geraram protestos online

O vídeo no YouTube sobre a Quartz recebeu mais de 70.000 dislikes e foi colocado como não-listado no canal da companhia. Os canais de comunicação internos da Ubisoft ficaram cheios de frases dos funcionários criticando a iniciativa. Até o sindicato dos funcionários em Paris publicou uma carta polêmica exigindo que a empresa se arrependesse.

A Quartz ainda está online. Foram colocados à venda, inicialmente, três tipos de itens para o Breakpoint. Há calças, armas e capacetes, apenas esse seria presenteado a quem tem 600 horas de jogo, agora todos os itens podem ser pedidos pelos jogadores.

Os itens da empresa já estão à venda em mercados paralelos como o Objekt. A mercadoria mais cara está com a etiqueta de preço US$ 99.999 e as ofertas, quando existem, começam a US$ 21.

NFTs da Ubisoft

NFTs da Ubisoft à venda no mercado paralelo – (Imagem: Reprodução)

O CEO da Ubisoft disse que a reação negativa ao anúncio dos NFTs no game era esperada, e comparou as queixas a outras reclamações em novidades anteriores da indústria, como DLC, microtransações e pacotes de itens de brinde. Para Guillemot, com o tempo os itens digitais serão aceitos. Funcionários da Ubisoft preocupam-se que as microtransações atuais já são polêmicas para a empresa.

A inspiração apontada por Guillemot foi o metaverso Roblox, avaliado em US$ 45 bilhões. Funcionários da Ubisoft apontaram que já há documentários denunciando processos irregulares e assédio na relação entre games e criptomoedas, no canal do YouTube People Make Games.

Apesar da preocupação dos funcionários, o CEO da Ubisoft foi claro. Eles podem criticar, mas a empresa continua com planos de integrar NFTs em seus games. O lançamento da Quartz é apenas o começo.

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *