Nos últimos meses, a crise dos chips tem impactado diretamente a busca por placas de vídeo, consoles e eletrônicos no geral. Os mais esperançosos até esperavam um cenário melhor para o ano que vem, mas a verdade é que isso não deve acontecer tão cedo. Pelo menos, é essa a opinião de Jensen Huang, CEO da Nvidia.

Durante uma entrevista ao Yahoo Finance para discutir o seu recente showcase de tecnologia GTC, o executivo jogou um verdadeiro balde de água fria para quem acreditava em um clima mais ameno diante da crise dos chips.

“Acho que no próximo ano a demanda vai exceder em muito a oferta. Não temos nenhuma fórmula mágica para navegar na cadeia de suprimentos”, pontuou Huang.

Embora o discurso seja desanimador, não é visto como grande novidade. No começo de 2021, o mesmo Huang afirmou que a escassez de componentes deve ser prolongada até grande parte do ano que vem. Isso não só deve afetar estratégias da Nvidia, como deve seguir como uma “pedra no sapato” para toda a indústria.

Rival também pessimista com a crise dos chips

Infelizmente, a visão do CEO da Nvidia não é um caso particular. O CEO da Intel, Pat Gelsinger, também compartilha uma visão semelhante para o curto prazo. Em outras palavras, a crise dos chips deve estar longe de um final feliz para os players do mercado.

“Estamos no pior momento, a cada trimestre mais próximo de 2022 ficamos cada vez melhores, mas eles [fornecedores] não terão equilíbrio entre oferta e demanda até 2023”, afirmou o executivo em uma recente entrevista à CNBC.

As declarações apontam um cenário extremamente complicado: embora a procura por computadores, placas de vídeo e videogames tenha reportado um boom desde a pandemia, a distribuição desses produtos tem sido gravemente afetada pela falta de componentes, resultando em altas de preços e problemas de distribuição.

Naturalmente, isso deve continuar impactando nos números de vendas e balanços das companhias — uma péssima notícia em um período que antecede a Black Friday global e a época natalina. A busca por produtos deve seguir complicada e quem quiser enfrentar o cenário adverso terá que ser rápido para evitar a nova falta de estoque iminente.

Fonte: PCWorld

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *