Uma nova ferramenta de pesquisa, a You.com, mostra resultados de maneira bem diferente do tradicional – bem diferente do Google, principalmente. A empresa recém-lançada teve um financiamento de US$ 20 milhões liderado pelo CEO da Salesforce e tem como premissa respeitar a privacidade dos usuários.

A diferença do novo buscador é a organização de respostas para pesquisas feita no site em uma espécie de grade navegável, que substitui o formato mais popular de lista. Quem se cadastrar no You.com também pode ajudar a destacar os melhores resultados ou esconder indicações que acredite que não deveriam aparecer.

You ferramenta de busca

You mostra resultados em grade (Imagem: Reprodução)

A principal vantagem é que, com múltiplos resultados exibidos praticamente lado a lado, um novo modelo de pesquisa é apresentado ao usuário. Em vez da lista que conduzia a uma única “verdade” no topo, a grade oferece vários aspectos de um mesmo tema.

A importante relação entre busca e resultado

Outro diferencial do serviço é não ter os “snippets” do Google, que são respostas diretas à sua busca com base em sites considerados como os mais indicador para responder sua dúvida. A ideia original do recurso é ser uma resposta resumida do que você procura, mas, na prática, acaba levando o usuário a conclusões erradas ou mesmo perigosas a respeito de determinados assuntos.

A situação do Google fica ainda pior com as fake news. O assistente pessoal da empresa (acessível com o comando “Ok, Google”) pode trazer respostas completamente equivocadas em buscas rápidas. Já aconteceu de um Google Home comparar políticos conservadores americanos a nazistas.

Preocupações com privacidade

O You.com foi fundado por dois ex-funcionários da Salesforce e ainda está em versão beta. Além de links da web, os resultados incluem conteúdo de sites de notícias e redes sociais como Twitter, Amazon e LinkedIn – além da Wikipedia, é claro.

Como em outras ferramentas do tipo, o You.com tem também um modo furtivo, que protege a privacidade do usuário. A empresa também alega que não coletará dados dos internautas, mas as preocupações com privacidade param aí. Afinal, para grande parte das funcionalidades, como destacar resultados, é mesmo preciso estar cadastrado.

Busca

Imagem: Bernard Harmant/Unsplash

A monetização do serviço deve se dar a partir de compras realizadas por meio de seus resultados de busca, os chamados links afiliados. Por enquanto, felizmente, não há anúncios intrusivos no You.com, algo que, por si só, já dá um certo alívio ao fazer pesquisas por lá.

Fontes: Tom`s Guide/The Verge

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *