Imagem: Tecmasters

Os clientes e rivais da Microsoft estão sendo questionados pelos negócios em nuvem e acordos de licenciamento por reguladores antitruste da União Europeia, de acordo com um questionário visto pela Reuters. O movimento pode colocar a empresa de software norte-americana sob escrutínio renovado e uma investigação formal.

As denúncias dos fornecedores de software alemão NextCloud e do francês OVHcloud, além de outras duas empresas, são relacionadas às práticas de computação em nuvem da Microsoft, colocando-a novamente sob o radar da comissão de concorrência da UE.

Reguladores antitruste da UE miram serviços de computação em nuvem da Microsoft

Imagem: Tecmasters

De acordo com o questionário enviado à Microsoft, a Comissão afirma ter informações de que a companhia “pode estar usando sua posição potencialmente dominante em certos mercados de software para excluir a concorrência em relação a certos serviços de computação em nuvem”.

Há quase uma década, a empresa de software americana foi obrigada a pagar € 1,6 bilhões (US$1,8 bilhão) por violar regras antitruste da União Europeia e por não cumprir com a ordem de interromper as práticas anticompetitivas impostas pelos reguladores.

Reguladores questionam clientes e concorrentes da Microsoft

Em documento, os reguladores querem saber se os termos no acordo de licenciamento entre a Microsoft e os provedores de serviço em nuvem permitem a livre e efetiva concorrência de rivais. 

Além disso, eles pedem informações sobre questões de uso necessário de sistemas operacionais e aplicativos de produtividade da Microsoft para complemente da própria oferta de infraestrutura de cloud computing para competir efetivamente.

Elas também foram questionadas sobre diferenças nas taxas de licenciamento e termos comerciais entre os acordos de licenciamento com fornecedores de serviços em nuvem e outro programa no qual serviços em nuvem da Microsoft são empacotados e revendidos indiretamente junto aos próprios.

A limitação técnica potencial dos serviços de armazenamento disponíveis na infraestrutura em nuvem das empresas também foi questionada pelos reguladores.

Em uma declaração enviada por e-mail, a companhia diz estar “continuamente avaliando como podemos melhor apoiar os parceiros e tornar o software da Microsoft disponível aos clientes em todos os ambientes, incluindo os de outros provedores de nuvem”.

Microsoft

Foto: Tawanda Razika/Pixabay

Apesar dos questionamentos dos reguladores, a chefe da comissão antitruste, Margrethe Vestager, disse no início da semana passada que o cloud computing ainda não é uma preocupação, citando a concorrência da Gaia-X da Europa.

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.