Imagem: Brett Jordan on Unsplash

Um novo estudo da Trend Micro revela o que muita gente já suspeitava: grande parte dos ciberataques se apoiam na chamada engenharia social. Em vez de planos mirabolantes ou tecnologias de ponta, os criminosos digitais iniciam sua investida com um simples email.

De acordo com o levantamento da empresa de segurança, cerca de 75% das invasões a empresas se baseiam em ataques de phishing via email, enganando o destinatário para que ele abra links suspeitos ou baixe arquivos infectados.

Ciberataque no seu inbox

A companhia afirma que, só em 2021, ajudou seus clientes a bloquear mais de 25,7 milhões de ameaças do tipo, um aumento considerável diante das 16,7 milhões de mensagens interceptadas em 2020.

Por que o volume de ciberataques por email cresceu tanto? Segundo a Trend Micro, isso tem a ver com a eficiência que investidas desse tipo possuem em relação ao esforço dedicado à tarefa. É muito fácil e barato disparar grandes quantidades de mensagens e esperar que um funcionário desavisado morda a isca.

Ciberataque

Imagem: FLY:D on Unsplash

A educação dos profissionais em relação a proteção e segurança digital, aliás, é apontada pela Trend Micro como uma das principais formas de lidar com esse cenário – que se agravou com grande parte dos trabalhadores cumprindo sua jornada de casa.

O risco de ignorar um projeto contínuo de conscientização de colaboradores é claro hoje em dia: deixar sua empresa suscetível aos temidos ransomwares. Afinal, os ciberataques via email são apenas a porta de entrada para que funcionários sejam infectados com software maliciosos que se espalham por toda a rede da companhia.

Com isso, a “economia” na educação digital da equipe acaba se tornando, muitas vezes, um prejuízo múltiplas vezes maior com o pagamento de resgate por dados sequestrados.

Via: TechRadar

Comentários

0

Please give us your valuable comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.